Sociedade

MARIELLE FRANCO

"1000 dias sem respostas", Instituto Marielle faz intervenção na Câmara do Rio por justiça

Mil dias após o assassinato de Marielle e Anderson, o Instituto Marielle Franco faz protesto em frente à Câmara do Rio de Janeiro denunciando o descaso da justiça brasileira e a falta de informações sobre o caso.

terça-feira 8 de dezembro de 2020| Edição do dia

Foto: Marcia Foletto

Hoje (8) se completam mil dias do brutal assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Uma ferida aberta do golpe institucional que segue sem resposta, deixando explícito o papel que cumpre a justiça burguesa quando se trata de uma execução política.

Como forma de protesto, o Instituto Marielle Franco, instituição fundada pela família de Marielle, após seu assassinato e a Anistia Internacional Brasil um movimento internacional em defesa dos direitos humanos, organizaram forte ação em frente à Câmara Municipal do Rio de Janeiro, em que posicionaram diversos alarmes com a imagem de Marielle de forma a compor a frase “1000 dias sem respostas”.

Desde o dia da execução de Marielle e Anderson, que foram alvejados com 13 tiros no carro em que estavam, a luta por justiça e a exigência de resposta à pergunta “quem mandou matar Marielle e Anderson” é imparável. O fato despertou revolta e mobilizou não só o Brasil mas a população do mundo inteiro contra a extrema direita que destila ódio contra negros, mulheres, LGBTs, trabalhadores, movimentos sociais e organizações da esquerda. Todo apoio e solidariedade às famílias de Marielle e Anderson.

Veja mais: Mil dias sem Marielle: uma ferida aberta do golpe institucional e nossa luta por justiça




Tópicos relacionados

1000 dias sem Marielle e sem respostas   /    #JustiçaParaMarielle   /    Marielle Franco   /    Sociedade   /    [email protected]

Comentários

Comentar