Mundo Operário

Luta na LG, Suntech, Bluetech e 3C

1.090.000.000 (1,09 bilhão) de reais. Esse foi o lucro da LG em 2020.

A LG conseguiria pagar indenizações de 130 mil reais, igual fez a Ford, para mais de 8 mil trabalhadores. Conseguiria manter salário para mil trabalhadores (ou seja, diretos e terceiros) por mais de 45 anos. Isso é o que daria para fazer com o lucro de apenas 1 (UM) ano da LG, que em 2020 anunciou lucratividade de 1,09 bilhão!!! E ano que vem a projeção dela é lucrar 1,36 bilhão, que é ainda mais. Imagine só com a lucratividade de todos os anos dessa empresa?

sexta-feira 16 de abril| Edição do dia

Se dividirmos o 1,09 bilhão por 130 mil, que foi a indenização que ganharam os trabalhadores da Ford com a saída da empresa do Brasil, seria possível pagar essa quantia para 8.385 trabalhadores. Hoje, as fábricas da LG junto com as fornecedoras terceirizadas Suntech, Bluetech e 3C têm muito menos trabalhadores que isso, cerca de 1000 trabalhadores. Ainda assim, a empresa se recusa a indeniza-los por sua saída, o que seria o mínimo!

Aliás, seria o mínimo do mínimo, pois isso é o lucro da LG em apenas 1 (UM) ano. Considerando o salário médio dos trabalhadores no Brasil, essa mesma lucratividade que vai direto para o bolso dos acionistas poderia garantir o pagamento dos salários de todas as trabalhadoras, efetivas e terceirizadas, por mais de 45 anos. Esse lucro é apenas o que foi publicado pelos jornais de economia como o Valor Econômico, agora imaginem se abrirmos os livros de contabilidade dessa empresa e somarmos o que ela já lucrou em todos esses anos em que arranca o couro dos trabalhadores? Esses valores são troco de padaria para a LG.

É por isso que com o lucro exorbitante dessa multinacional, daria não só pra garantir indenizações iguais para efetivos e terceirizados, mas daria inclusive para ir além, e manter todas as fábricas produzindo e nenhuma família ficar desempregada em meio à pandemia!

Se a LG e as empresas terceirizadas acham que as trabalhadoras são peças descartáveis e querem fechar a produção para investir em outros negócios, não podem simplesmente sair impunes, ainda mais nesse momento em que a pandemia e o desemprego ameaça a vida de milhares de famílias! Os acionistas já sugaram dinheiro de mais do trabalho dessas trabalhadoras. O estado precisa expropriar essas fábricas, estatizar e colocar a serviço dos trabalhadores! Fábricas como essas podem produzir componentes eletrônicos importantíssimos para uma série de equipamentos hospitalares necessários para o combate à pandemia. Além disso, poderiam produzir celulares e tablets para milhões de estudantes no Brasil que hoje sofrem sem conseguir acompanhar as aulas em EAD por não terem equipamentos adequados. Por que não estatizam essas empresas para que produzam coisas que estejam a serviço da população e não dos lucros de empresários?

Nada virá de mão beijada deste governo, só a luta dos trabalhadores pode ser capaz de exigir isso. É por isso que a greve das trabalhadoras dessas 4 empresas precisa ser mantida e fortalecida. E precisa se expandir para outras categorias! A unidade dos trabalhadores em todo o país é necessária, pois os patrões estão unidos demitindo e retirando direitos, se apoiando para isso nas medidas aprovadas pelo governo de Bolsonaro junto dos militares, e também pelo congresso, STF e governadores, que fingem oposição a esse presidente que faz pouco caso das quase 4 mil mortes por dia pela pandemia, mas no fim estão todos juntos na hora de atacar os trabalhadores.

Por isso precisamos que enormes centrais sindicais, como a CUT que dirige o sindicato da LG e milhares de sindicatos em todo país, não fique esperando as eleições, mas sim use toda sua força nacional para organizar os trabalhadores em greves e paralisações, o que pode ter força para barrar as demissões e todos os ataques a nossa classe, unificando as lutas inclusive com a paralisação nacional dos trabalhadores dos transportes que ocorrerá dia 20.




Tópicos relacionados

LG   /    Demissões   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar