www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Sábado 24 de Agosto de 2019
06:47 hs.

Twitter Faceboock
REORGANIZAÇÃO ESCOLAR
Ação pública contra a reorganização disfarçada é extinguida em São Paulo
Ana Terra
Campinas

As investigações sobre a reorganização disfarçada foram suspensas em São Paulo, mas estudantes voltam as aulas e a organização das lutas.

Ver online

Nessa quarta (27/07) foi divulgada a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que extinguiu a ação civil pública que apurava a "Reorganização Escolar" proposta por Geraldo Alckmin (PSDB) em 2015. Foi justamente contra essa política de fechar escolas, mascarado de “reorganização”, que se deu a histórica luta das Ocupações Secundaristas, que derrubou o então Secretário da Educação, Herman e conseguiu barrar o projeto, que afetaria tanto os alunos, os professores, funcionários efetivos e terceirizados, além de toda a logística e vida das mães e pais trabalhadores. Já que intensificaria a já existente superlotação das salas de aula, demissão de professores temporários e funcionários terceirizados, podendo ser implementadas também parcerias públicos-privadas nas escolas, dificultando o acesso de alunos as escolas e seus pais a levarem seus filhos, já que o projeto teria em vista o fechamento de 94 escolas, transformação de 754 em unidades de ciclo único e a transferência de 311 mil alunos entre os colégios da rede estadual.

Apesar de em Dezembro a Reorganização ter sido "suspensa”, graças as Ocupações em todo o Estado e o amplo apoio da população, o cotidiano dos estudantes, professores e trabalhadores da educação mostra que ela continuou sendo implementada por baixo dos panos, como mostra o depoimento da aluna secundarista, Adrielli: ”eles falam que não tem vaga, quando na verdade as salas estão ficando esvaziadas, porque os alunos vão trocando de escola e não abrem mais.”.

Mesmo com a Secretaria de Alckmin negando que esse processo tem sido feito escondido da população a realidade mostra a contradição do governador que rouba merenda dos estudantes e agora com a extinção da apuração poderá ser efetuada descaradamente e mais rapidamente.

Com o golpe da direita golpista e Temer no poder, fica cada vez mais fácil para o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) implementar seus projetos e cortes, correndo o risco também de Temer cortar verbas na educação, com a Câmara dos Deputados votando a privatização do Ensino Superior. O PT já preparou o caminho cortando mais de 13 bilhões apenas no ano passado. Estão todos juntos arrancando tirando os direitos da juventude de ter seu espaço para se desenvolver, para sucatear cada vez mais a juventude, crianças e trabalhadores.

Porém, com a volta as aulas na próxima semana e a esperança de Alckmin, que os alunos estejam desorganizados enquanto movimento, tentando controlar desde o início do ano todos os grêmios. Ele com certeza não sabe o que lhe espera desse movimento de resistência que surgiu entre os alunos das escolas, que não aceitam projeto algum de reorganização! Querem opinar sobre a educação! Sendo assim não aceitarão calados ou sentados, como já vem mostrando esses estudantes desde o ano passado, que se unem cada vez mais aos trabalhadores e professores para lutar e ocupar ruas, fábricas, universidades e escolas em defesa dos nossos direitos, em resposta aos ataques e a insatisfação com o Estado.

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui