www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Miércoles 28 de Octubre de 2020
06:30 hs.

Twitter Faceboock
VALE
Caixa-preta da Vale: empresa é acusada de calcular possíveis custos com mortes por rompimentos
Redação

No caso da barragem de Brumadinho o valor por óbito em um eventual rompimento era de R$ 8,8 milhões por pessoa. Vale mantinha as "top 10" barragens e calculava os custos de sua negligência.

Ver online

Para chegar à lista das "top 10" barragens em "situação inaceitável de segurança", a Vale fazia cálculos do risco monetizado para cada uma, em relação a "probabilidade de falha e custos se efetivado o rompimento". De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público de Minas Gerais nesta terça-feira, 21, em tais cálculos havia informações de custo por perda de vida, em média de US$ 2,5 milhões.

"No final do cálculo de risco monetizado o produto era: probabilidade versus custo da ruptura. A partir daí criaram esse ranking top 10 das barragens com risco inaceitável", disse o promotor William Garcia Pinto Coelho.

Veja também: Lucro acima de tudo: Vale dará mais dinheiro a acionistas do que indenizações para vítimas de Brumadinho

No caso da barragem 1 da mina de Córrego do Feijão, que rompeu deixando centenas de mortos em Brumadinho, o valor por óbito em um eventual rompimento era de R$ 8,8 milhões por pessoa. No pior cenário para a barragem a Vale estimou 215 mortes, número altíssimo, mas ainda menor do que o que se configurou, com 270 vítimas fatais.

A conta dos possíveis danos era tão minuciosa que, segundo os promotores, englobava número de pessoas que poderiam ser atingidas, incluindo valores de ventiladores, aspiradores, colchões e carros, com diferenciação de preços por classe A, B, C, D, E.

Veja também: Vale lucrou R$ 25,657 bilhões em cima de lama, cidades e sangue dos trabalhadores

A Vale, é responsável também pela tragédia de Mariana, deixando centenas de trabalhadores e moradores desabrigados, e causando um estrago ambiental irreparável. A mineração é uma prática predatória e nas mãos dos capitalistas, causam centenas de mortes e destruição ambiental da fauna e flora, afetando a vida da população de conjunto.Para combater a negligência e irresponsabilidade das grandes mineradoras em relação a vida de seus trabalhadores, das comunidades e do meio ambiente locla é preciso é preciso lutar pela re-estatização da Vale, sob administração operária e controle da população.

Informações de Agência Estado

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
[email protected]
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui