www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Jueves 22 de Agosto de 2019
20:04 hs.

Twitter Faceboock
CORRUPÇÃO
Vereador de BH, do PSL de Bolsonaro, é preso acusado de embolsar R$ 1 milhão
Redação

Em Belo Horizonte, Minas Gerais, o vereador Cláudio Duarte, do PSL, foi preso temporariamente. Ele teria feito um esquema semelhante ao do filho do presidente, Flávio Bolsonaro, embolsando salários de assessores.

Ver online

Na manhã desta terça-feira, 2, em Belo Horizonte, o vereador Cláudio Duarte (PSL) foi preso e afastado de seu cargo sob acusação de repartir o salário dos funcionários de gabinete, embolsando o dinheiro para si, além de ameaçá-los para que não revelassem o esquema.

Este crime, reconhecido como “rachadinha”, é o mesmo de que Flávio Bolsonaro é acusado, também do PSL e filho do presidente Jair Bolsonaro. O vereador vai responder pelos crimes de peculato, concussão, formação de organização criminosa e obstrução da Justiça.

Segundo a investigação da Polícia Civil de Minas Gerais, o vereador embolsou cerca de R$1 milhão desde janeiro de 2017, quando iniciou seu mandato no Legislativo da capital.

Os funcionários do parlamentar recebiam R$ 11 mil e "devolviam" a ele R$ 10 mil. Segundo o delegado do caso há fortes indícios do esquema com documentos e testemunhos. O parlamentar ficará afastado do mandato por 60 dias e sua prisão tem caráter temporário, já que no máximo em cinco dias será liberado.

No último domingo, 31, o vereador Cláudio Duarte, dias antes de ser detido, participou de ato de comemoração do golpe civil-militar de 1964, onde declarou que nesta terça-feira apresentaria um projeto de lei na Câmara para fazer o viaduto Helena Greco voltar a se chamar Elevado Castelo Branco (que homenageava um dos presidentes da Ditadura).

Revela-se mais uma vez a hipocrisia da extrema direita que diz "combater a corrupção" mas é tão corrupta quanto os outros partidos deste regime político. Homenageiam a Ditadura e chegam a mentir que "naquela época não havia corrupção", mas o que eles veneram de verdade é a tortura, a perseguição, o assassinato de opositores e a impunidade para seus crimes, como a corrupção, como era a regra na Ditadura Militar, período em que se deu o ponta pé inicial para o enriquecimento abrupto de grandes empreiteiras, como a Odebrecht, sempre envolvida em esquemas de corrupção.


Vereador Cláudio Duarte em manifestação em Belo Horizonte no último domingo (31) comemorando o golpe civil-militar de 1964. Reprodução/Facebook.

A corrupção é parte deste regime político que se vende aos grandes empresários capitalistas, em que políticos e juízes ganham altas quantias legal e ilegalmente, para servirem aos interesses de uma minoria rica e exploradora.

Por isso a corrupção não pode ser enfrentada pelo judiciário, que se utiliza do "combate à corrupção" para enfraquecer os adversários e fortalecer seus aliados circunstanciais na casta política, como fez com o golpe institucional em 2016 e com a manipulação das eleições de 2018, prendendo arbitrariamente e proibindo a candidatura de Lula.

As prisões como as de Temer, e inclusive aquelas acusações contra o presidente Jair Bolsonaro e sua família, são parte da demagogia do judiciário para se prestigiar e para pressionar pela aprovação da Reforma da Previdência, objetivo principal dos banqueiros e grandes empresários estrangeiros e nacionais. Ditam os ritmos das investigações e dão as cartas da punição e da impunidade segundo seus interesses políticos.

*com informações do jornal Estado de Minas

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui