www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Domingo 25 de Agosto de 2019
01:21 hs.

Twitter Faceboock
MARX VOLTOU
Grupo de estudo Marx Voltou: a atualidade do Manifesto do Partido Comunista
Bruno Amorim

No dia 30 de março retornamos com o Grupo de Estudos Marx Voltou na Universidade Federal do ABC, impulsionado pelo Esquerda Diário, Quilombo Vermelho e o grupo feminista e socialista Pão e Rosas.

Ver online

Nesta primeira sessão de retorno do grupo nos reunimos em torno ao texto de Leon Trotsky : Os 90 anos do Manifesto do Partido Comunista, que fazia então um balanço histórico de um dos principais documentos já escritos pela história do movimento operário moderno e que se constituiu como marco fundador do socialismo científico.

Partindo da atual conjuntura de crise econômica do capitalismo mundial que chega ao seu 11º ano e do ascenso das idéias reacionárias de direita no mundo com Trump nos Estados Unidos e Bolsonaro no Brasil analisamos as principais idéias escritas por Marx e Engels nesta obra que 90 anos depois Trotsky faz uma análise reforçando os pontos onde as idéias do Manifesto ´passaram à prova`da realidade, mas também colocando um marco nos limites onde Marx não podia prever ou foram superados pela História.

Analisamos desde o contexto em que surgiu o manifesto, escrito em meio à grande crise econômica que culmina em processos revolucionários por toda Europa no ano de 1848, conhecida como a Primavera dos Povos, onde Marx e Engels respondendo à necessidade de haver um documento que condensasse as idéias para a ação da classe operária naquele momento. Retomamos definições chave como a divisão em classes sociais que aparece a partir de certo grau de desenvolvimento das forças produtivas gerando acumulo de riquezas, o que dá lugar ao surgimento da desigualdade social.

Reafirmar a divisão social em classes a partir essencialmente dos que detém os meios de produção e dos que não possuem tais meios, ou seja, os que vendem sua força de trabalho em troca de um salário é fundamental para os dias atuais onde muitas teorias têm surgido com a idéia de fim das classes sociais, ou fim da História, supondo que o capitalismo seria o estágio final de desenvolvimento produtivo e social.

Assim como Trotsky colocava no seu texto de balanço histórico afirmando que o essencial do manifesto sobreviveu à prova dos acontecimentos historicos, também foi debatido acerca dos pontos onde Marx e Engels, pelo pouco desenvolvimento do capitalismo ainda naquele período e da imaturidade da classe operária, não podiam prever como por exemplo o surgimento de uma casta burocrática que mais tarde se tornaria o principal entrave para a organização revolucionaria do proletariado(o que podemos ver hoje em dia nas atuais direções dos principais sindicatos do Brasil). Ou que naquele momento de crise em 1848 se tratava não de uma crise de agonia do sistema capitalista, como definia Marx então, mas como disse Trotsky se tratava de uma crise de parto do capitalismo.

Por fim debatemos o caráter internacional da revolução proletária que assim como a produção é organizada e atua a nível internacional, assim também se torna necessário que a organização e ação do proletariado tenha um caráter internacional na medida que a revolução do proletariado tenha como objetivo a planificação da economia e socialização dos meios de produção. Tal como diz Marx em sua última frase do manifesto: Proletários do mundo Uni-vos!.

Vivemos uma época de crise profunda do sistema capitalista que amarga recessão atrás de recessão e uma vez mais tenta jogar nas costas da classe operária o preço dessa crise. Não é a toa que as idéias comunistas geram tanto ódio aos poderosos que fazem de tudo e usam de todos os meios para deturpar a história de luta e organização da classe trabalhadora. Num momento no Brasil em que a extrema direita e os capitalistas tentam retirar direitos históricos e reprimir nossas liberdades é preciso retomar o trabalho da estratégia e da luta de classes para construirmos uma alternativa de poder da classe trabalhadora. Como dizia Lenin: ´Não existe movimento revolucionário, sem teoria revolucionaria`.

Convidamos a todos a fazer parte deste grupo de estudos e conhecer mais as idéias revolucionárias.

Para o próximo encontro será em torno ao texto ´A miséria da filosofia` de Karl Marx. Não perca.

Para acompanhar o G.E: https://www.facebook.com/groups/112201336280766/

Contato: 11963189085
marxvoltouufabc.wordpress.com

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui