www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Martes 21 de Mayo de 2019
16:31 hs.

Twitter Faceboock
AUTORITARISMO
Onyx reivindica reformas de Pinochet e diz que ditador ’teve que dar banho de sangue’
Redação

Ministro da Casa Civil, enquanto Bolsonaro visitava o Chile, buscou reescrever o legado assassino da ditadura chilena sob Pinochet, para ele: "O Chile lá atrás teve que dar banho de sangue para mudar princípios macroeconômicos".

Ver online

É mais do que conhecida a defesa e a admiração de Bolsonaro, e membros de seu governo recheado de militares, pelo período da Ditadura Militar. Recentemente ele mandou que se comemore nos quartéis o aniversário do Golpe de 1964. Entretanto, outro regime ainda mais autoritário e sangrento é também reivindicado por seu governo.

Enquanto o próprio presidente visitava o Chile, aqui no Brasil seu Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, reivindicou o papel cumprido pela Ditadura chilena sob o período de Pinochet no poder:

"O Chile lá atrás teve que dar banho de sangue para mudar princípios macroeconômicos. Já passaram oito governos de esquerda no Chile e nenhum tocou nisso. Graças a Deus no Brasil e, infelizmente na parte pessoal, o único sangue derramado foi o do capitão [Jair Bolsonaro]"

Além de justificar a violência de Pinochet e o "banho de sangue" da população chilena, a intenção de Onyx é se apoiar no suposto exemplo das reformas neoliberais do governo chileno ditatorial para buscar implementá-las aqui no país. Bem distante do conto apresentado pelo ministro, o legado da brutal ditadura chilena são milhares de assassinatos e torturados, além de duras reformas contra os trabalhadores, como as privatizações e a mudança no regime previdenciário, levadas a cabo pelos ’Chicago Boys" - o próprio Paulo Guedes, ministro da Fazenda, foi convidado pela ditadura para ser professor no país durante o período, assistindo de perto a implementação das reformas sangrentas que busca transpor para cá.

As sucessivas crises do governo Bolsonaro marcam os muitos limites para estabelecer um paralelo entre o governo atual e a brutal e autoritária ditadura chilena, ou mesmo em relação a ditadura brasileira, entretanto o discurso de seus representantes não deixa de evidenciar que os modelos admirados por eles são esses: "É uma coisa curiosa até do ponto de vista histórico. No Chile uma coisa sangrenta, e o Chile se rearrumou. No Brasil foi o dele, e graças a deus ele está aí firme e forte. Mas a gente está propondo caminho muito similar ao do Chile, e melhor".

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui