www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Lunes 28 de Septiembre de 2020
05:00 hs.

Twitter Faceboock
A xenofobia do governo do PSOE: expulsões “express” de imigrantes
La Izquierda Diario

116 imigrantes subsaarianos foram expulsos de forma “express” para Marrocos através de um acordo assinado entre os dois países em 1992.

Ver online

Mais de cem pessoas haviam pulado a cerca da fronteira de Ceuta na última quarta-feira. Menos de 24 horas depois, foram "devolvidos" pelo Estado espanhol à polícia marroquina. O governo "progressista" do PSOE usou um acordo bilateral assinado com esse país em 1992.

O ministro do Interior espanhol, Fernando Grande-Marlaska, cuidou pessoalmente de "agilizar" os procedimentos para que os imigrantes fossem expulsos imediatamente.

Organizações não-governamentais e grupos de imigrantes denunciaram a ilegalidade desses "retornos quentes", apontando também a contradição com as promessas do PSOE, quando era oposição, de terminar com esse tipo de procedimento.

Dois meses depois de ter recebido o navio Aquarius nos portos espanhóis, um gesto para mostrar uma face "progressista" frente a extrema direita européia, o governo do PSOE confirma que continua no caminho da xenofobia européia, aplicando expulsões que negam o mínimo direito de pedir asilo.

Mas essas políticas do PSOE não devem surpreender ninguém. Não esqueçamos que sob o governo de Felipe González foi aprovada a Lei Orgânica 7/1985, que estabeleceu a possibilidade de expulsão de estrangeiros e a posterior criação dos CIEs (Centro de Acolhimento de Imigrantes).

O Ministério do Interior espanhol reforçou, há algumas semanas, o aparato repressivo e de segurança, aumentando o número de oficiais do Comando da Guarda Civil de Ceuta e disponibilizando cinco veículos de apoio e um helicóptero com visão noturna e base permanente naquela cidade, um dispositivo que foi dito será expandido progressivamente.

Aqueles que conseguem passar as cercas, após enormes dificuldades, devem enfrentar a entrada nos Centros de Estadia Temporária para Imigrantes (CETI), a discriminação e os maus-tratos. CETI Ceuta tem capacidade para 500 pessoas, mas atualmente abriga mais de 1300, o que mostra as condições de superlotação a que os imigrantes estão sujeitos.

Enquanto isso, autoridades de vários países da União Européia realizarão uma reunião na sexta-feira para discutir políticas que restrinjam os fluxos migratórios, especialmente para os países do sul da Europa. A agenda da extrema direita xenofóbica se impõe como política de Estado na União Européia.

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
[email protected]
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui