Educação

MINISTRO DA EDUCAÇÃO

Weintraub, Ministro da Educação curte postagem de apologia à violência contra estudantes

Abraham Weintraub, ministro da Educação de Bolsonaro, curte publicação que faz ameaça à estudantes. A postagem, associada à uma imagem de um taco de beisebol com arame farpado diz: "Pedindo à UNE voltar ao MEC com badernas, que há docinhos para eles!!!"

terça-feira 6 de agosto| Edição do dia

Abraham Weintraub, ministro da Educação de Bolsonaro, curtiu uma postagem de ameaça à representantes de estudantes neste final de semana. Uma imagem de tacos de beisebol cobertos de arame farpado com a frase "Pedindo à UNE voltar ao MEC com badernas, que há docinhos para eles!!!", publicada no sábado (6), no Twitter.

O caso referido na imagem, ocorreu quando estudantes foram para a frente do Ministério da Educação protestar contra o programa Future-se. Onde a intenção era conversar com os reitores e entregar uma carta, contrária à proposta, assinada pela Ubes, pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e pela Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG). Estudantes contam que, em determinado momento, a Polícia Militar do DF tentou retirar os estudantes a força e houve agressão. Ainda afirmaram que pelo menos dois estudantes ficaram feridos.


Reprodução da Internet

Como já denunciamos, o “Future-se” é um projeto de entrega total do ensino superior à empresas e interesses privados. As universidades estão na linha de fogo da artilharia econômica e ideológica do governo de Bolsonaro. O Programa se for aprovado, vai se configurar como um grande ataque à autonomia universitária, por meio da participação gestora e financeira de Organizações Sociais nas atividades de ensino, de pesquisa e de extensão nas Universidades e Institutos Federais de Educação.

A postura do ministro revela a face autoritária do governo que se sente em melhores condições para avançar nos ataques após a aprovação da reforma em primeiro turno na câmara. Com o anúncio da votação em segundo turno para o dia de hoje sem qualquer tipo de mobilização de massas a tendência é que esse cenário se aprofunde frente ao silêncio das direções do PT e do PCdoB que seguem apostando em um estratégia de obstrução parlamentar enquanto contém todo o potencial da juventude e separando-a da classe trabalhadora e seus governadores no nordeste diretamente apoiam a inclusão de seus estados e municípios na reforma.

Para derrotar o projeto da extrema direita que nos reserva um futuro de miséria é preciso superar essa política traidora por parte das direções do movimento de massas. O PT pela CUT e o PCdoB pela CTB estão entregando nosso couro para o governo e operando uma divisão de tarefas, já que suas juventudes estão na direção majoritária da UNE – JPT e UJS – e são responsáveis por desviar o levante da juventude que poderia ter incendiado toda a classe trabalhadora.

Somente a unificação das pautas e das lutas da juventude e da classe em trabalhadora em torno da educação e da previdência é o caminho para a vitória. Para o dia 13/08 ser capaz de cumprir esse objetivo de derrotar os ataques é preciso exigir dessas direções um plano de lutas que aponte nesse sentido. Justamente por isso nós do Esquerda Diário e da Juventude Faísca fazemos um chamado para que sejam conformadas plenárias estaduais das forças da oposição de esquerda da UNE para que possamos nos articular e superar essas burocracias, imaginem a força social se com a mobilização a partir das entidades estudantis, presença em sindicatos e os parlamentares do PSOL como Boulos fosse encampada essa exigência.




Tópicos relacionados

Weintraub   /    Governo Bolsonaro   /    Ministério da Educação   /    Jair Bolsonaro   /    Educação   /    Educação   /    Política

Comentários

Comentar