Gênero e sexualidade

UFABC

Vitória do movimento LGBT na UFABC regulariza placas para uso de banheiro de acordo com a identidade de gênero

Nesta segunda-feira, dia 28, através da Pagina do Facebook da Universidade Federal do ABC, a instituição comunicou ao corpo docente, que a partir deste mês, todos os banheiros, vestiários e demais espaços segregados por gênero, poderão ser freqüentados conforme a identidade de gênero que a pessoa se reconheça.

terça-feira 29 de agosto| Edição do dia

A nota da reitoria no Facebook ainda cita a militante trans Virgínia Guitzel (integrante do coletivo prisma e da juventude faísca), colocando a importância do debate de gênero dentro e fora das universidades.

A medida foi tomada decorrente a uma serie de mobilizações impulsionadas pelo Coletivo LGBT Prisma da universidade, em decorrência a um acontecimento de transfobia na universidade no ano de 2016, em que uma da funcionaria terceirizada, que é uma mulher transexual, foi aconselhada a usar dos vestiários e banheiros masculinos e/ou de pessoas com deficiência, isso única e exclusivamente, por sua identidade de gênero não condizir com o determinado pelo sexo biológico de nascimento.

Na época foi chamada uma audiência pública onde iniciou-se a luta para que a universidade regulamentasse placas para os banheiros e vestiários. Desde então a luta por esse mínimo direito tem se dado na universidade, que mostrou-se muito resistente a discussão, inclusive quando a trabalhadora terceirizada em questão foi demitida no final do ano nada foi feito a respeito. Em julho desse ano ocorreu uma votação para a regularização das placas, que aprovou a medida. Apesar da votação favorável a reitoria ainda assim se mostrou resistente querendo postergar a decisão para novembro junto ao conselho universitário (que tem minoria estudantil inclusive).

Foi a partir da luta do coletivo Prisma junto a diversos grupos do movimento LGBT que a reitoria retrocedeu e vai implementar as placas na universidade.

Saiba mais: Prisma organizará audiência pública sobre uso de banheiro por transgêneros

Votação para uso do banheiro respeitando a identidade de gênero acontecerá na UFABC

Virginia Guitzel integrante da prisma se colocou na linha de frente dessa luta e diz: “A nossa luta é pra garantir o mínimo de respeito num direito tão mínimo que é a utilização de um banheiro. A luta da Prisma para colocar as placas nos banheiros e vestiários vem nesse sentido, pois usar o banheiro é um direito mínimo, mas a garantia das placas e respaldo da universidade assegura maior respeito nesses caso. Essa luta impulsionada desde o ano passado, passou por diversas resistências da Reitoria e do corpo docente da universidade e se mostrou vitoriosa apenas agora, a partir da luta dos LGBT na universidade.”

Conforme a denúncia das situações preconceituosas e discriminatórias a qual são submetidas travestis e transexuais que frequentam esse espaço, tornou-se possível abrir um dialogo com o corpo docente, discente e também a comunidade, dando visibilidade a partir de ações e audiências publicas, cobertas por diferentes mídias, como a Nlucon e o EsquardaOnline.

As pressões feitas pelo movimento LGBT e estudantil foi vitoriosa no sentido de atender a uma reivindicação mínima e de direito de toda a população, que é o uso do banheiro. Porem, somente ao atender a essa demanda, a publicação de informativo de regularização do uso dos banheiros a partir do reconhecimento de gênero, expôs o quão é necessário avançarmos com as discussões nestes espaços.




Tópicos relacionados

LGBT   /    ABC paulista   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar