Sociedade

LGBTFOBIA NO RIO DE JANEIRO

Vítima de assalto busca fazer B.O. na delegacia e é espancado por policial por ser gay

Jovem gay vai à delegacia registrar Boletim de Ocorrência após ser assaltado e é espancado por policial homofóbico em Niterói/RJ.

Marília Lacerda

Diretora de Base do Sindicato dos Trabalhadores da USP-HU

segunda-feira 24 de julho| Edição do dia

Após ter seu celular roubado de madrugada, Andrei Apolônio dos Santos, 23 anos, foi até uma delegacia em Niterói /RJ, na tentativa de registrar um boletim de ocorrência. O jovem foi brutalmente espancado por um agente policial que estava de plantão.

O estudante chegou à delegacia por volta das 4 horas da manhã com a intenção de realizar o BO, mas ao falar com os policiais, que perceberam que jovem era gay começaram as agressões.

Um dos policiais somente assistiu enquanto seu parceiro agredia o jovem, sem motivo algum aparente a não ser o fato de sua orientação sexual.

No Brasil, a cada 25 horas há um assassinato de vítima de LGBTfobia, segundo dados do Grupo Gay Bahia, o que mostra como é grande a intolerância de gênero num país tão citado exteriormente por realizar a famosa "Parada Gay", levantando a bandeira de liberdade as pessoas LGBTts.

Após xingamentos, tapas e violentas agressões com socos , etc, que duraram por volta de uma hora o rapaz foi liberado ainda sofrendo ameaças. “O agressor falou ‘Que bom, eu espero que você seja esperto, porque eu seria muito capaz de gastar todo um pente de munição em você’”, relembrou.

A Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol) passou a investigar o caso após Andrei procurar a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de Niterói. Mesmo com as ameaças, o rapaz diz querer ir até o fim na apuração da denúncia.

Nenhuma tolerância e impunidade a essa polícia homofóbica! Basta de mortes contra LGBTs!




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar