Mundo Operário

TRABALHADORES TERCEIRIZADOS NA USP

Viraliza nas redes sociais denúncia contra USP sobre trabalhadores terceirizados

Esquerda Diário procura nutricionista da SAS-USP para dar um parecer sobre a situação absurda que estão os terceirizados do bandejão. Pili, a nutricionista, foge da entrevista e permanece calada diante deste absurdo. O vídeo de denúncia viraliza nas redes sociais.

quinta-feira 12 de abril| Edição do dia

A terceirização vem avançando na USP de forma brutal. Com respaldo nos ataques nacionais, como a Reforma Trabalhista e a Lei da Terceirização, postos de trabalho se tornam cada vez mais precarizados, chegando à níveis absurdos em relação aos terceirizados.

Na USP, o setor responsável por lavagem das louças no bandejão foi terceirizado há pouco mais de um mês. No dia Internacional das Mulheres, 8 de março, um serviço pesado como deste setor foi invadido pela terceirização, cargos que são ocupados majoritariamente pelas mulheres negras.

Entenda melhor:Trabalhadores terceirizados passam fome e são proibidos de comer no bandejão da USP

Os terceirizados deste setor encontra-se em condições miseráveis de trabalho, denunciadas pelos trabalhadores do bandejão central, junto ao SINTUSP, sindicato da USP, professores e estudantes. Nesta terça-feira, 10, foi realizado um ato em frente ao bandejão para denunciar esta situação e foi passado um abaixo assinado, exigindo melhores condições para os terceirizados.

O primeiro vídeo realizado pelo Esquerda Diário, buscou entrevistar a nutricionista da Superintendência de Assistência Social (SAS), Pili, para obter alguma declaração de como a USP irá resolver tremenda segregação dos trabalhadores, que encontra-se impedidos de usar os mesmo vestiários que os trabalhadores efetivos e que não podem comer a comida que fazem. Pili fugiu da entrevistas e se manteve calada frente à tal absurdo. O vídeo que denuncia isso viralizou nas redes sociais alcançando mais de 28 mil visualizações. Veja o vídeo abaixo:

O ato uniu centenas de pessoas, entre trabalhadores e estudantes, além de juristas para comentar o caso. Veja também o vídeo do ato realizado e as várias intervenções que expõe a barbaridade da situação dos terceirizados do bandejão central da USP:




Tópicos relacionados

bandejão da USP   /    SINTUSP   /    Terceirização   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar