Gênero e sexualidade

MACHISMO

Violência contra as mulheres: SP registra quase 400 abusos sexuais em transportes no ano

sexta-feira 29 de setembro| Edição do dia

Há dois dias atrás novo escândalo de abuso sexual no ônibus teve repercussão na mídia, dessa vez no Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo. Há menos de um mês atrás outro caso desse tipo foi alvo de revolta, quando a justiça se recusou a fazer a denuncia e o rapaz foi solto, tendo nova investida de mesmo tipo 24 horas depois, quando aí então foi acusado de estupro pela justiça.

A recorrência de casos de abusos sexuais em ônibus impressiona, são quase 400 casos este ano só na região metropolitana de São Paulo (fonte). Os dados são secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) que registrou 391 casos até dois dias atrás. O total de casos dão uma média de 1,4 denuncias por dia.

Isso demonstra como o machismo é arraigado na sociedade e mostra seus tentáculos nas mais diversas esferas da sociedade capitalista. Das mais banais até as mais repugnantes, como é o caso dos absurdos números relatados acima. O estado é culpado pela superlotação dos transportes. Exigimos assistência as mulheres, física e psicológica, licença médica se necessário, após passarem por uma experiencia traumática do tipo.

Faz-se necessário a educação sexual e sobre homofobia nas escolas além da busca por melhores condições no transporte público, o estado é culpado pela superlotação. Precisamos também ter cuidado para não incorrermos no punitivismo, algo que mais atrapalha do que ajuda na recuperação dos homens.

Casos Recentes

Há dois dias atrás voltando trabalho, uma mulher de 34 anos recebeu uma ejaculação na sua perna durante uma viagem de ônibus. O caso ocorreu dentro de um ônibus no Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo. O homem foi levado para o 30º Distrito Policial (Tatuapé). Passageiros, revoltados, agrediram o homem. Na delegacia, o preso disse que não sabe como isso aconteceu.

Em outro caso da prisão em flagrante do ajudante geral Diego Ferreira de Novais, de 27 anos, que havia sido preso após se masturbar e ejacular em uma passageira dentro de um ônibus na Avenida Paulista. Dois dias depois ele foi pego em flagrante novamente, quando foi denunciado por estupro, por segurar a vitima após o ato "na medida em que houve constrangimento da vítima mediante violência física empregada para que ele praticasse ato libidinoso", dizia o auto da denuncia.

Fonte Da Foto: Mundo Conectado




Tópicos relacionados

Mulheres   /    Estupro   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar