Mundo Operário

VIGILANTE DE SP

Vigilantes se manifestam no centro de São Paulo

quarta-feira 10 de janeiro| Edição do dia

Foto de G1

Nesta quarta-feira (10) pela manhã, um grupo de vigilantes realizou uma manifestação na região central da cidade, no Largo do Arouche, onde se encontra a sede do Seevissp (Sindicato dos Empregados em Empresas de Vigilância, Segurança e similares de São Paulo).

Os vigilantes se manifestavam contra o acordo de aumento salarial fechado pelo sindicato da categoria de 2,8% e, segundo o portal de notícias G1, estariam reivindicando 9% de reajuste. Nas páginas de vigilantes nas redes sociais, a falta de representatividade do Seevissp também foi citada como um dos motivos para a manifestação ocorrer.

Ainda segundo informação veiculada no G1, durante a manifestação uma bomba caseira foi atirada para dentro do prédio e um manifestante foi detido. Nas redes sociais, vigilantes afirmam que a bomba não veio do grupo de manifestantes, mas sim foi colocada no local para acusar a manifestação que, até então, seguia sem incidentes. O sindicato da categoria publicou, em seu site, nota contra a depredação do patrimônio que, segundo o Seevissp, foi causada por um grupo de vândalos patrocinados e que causaram destruição irreparável à sede.

O Seevissp é filiado à central Força Sindical, dirigida pelo Paulinho da Força, deputado que votou a favor do impeachment. A Força Sindical foi uma das centrais que traiu a greve geral marcada para o dia 30 de junho de 2017 contra as reformas da previdência e a reforma trabalhista (que foi aprovada logo em seguida) e negociou o direito dos trabalhadores em troca de proteger o imposto sindical.




Tópicos relacionados

São Paulo   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar