Cultura

CULTURA CAMPINAS

Vigilância privada se instala em praça comunitária ao lado da Maloca arte e cultura

Ontem, 19 de março, instalou-se uma guarita de vigilância privada no terreno da Praça comunitária Antônio Romão. Os organizadores do ponto de cultura Maloca, que fica ao lado da praça, consideram a guarita como uma ameaça ao despejo.

terça-feira 20 de março| Edição do dia

A Praça Antônio Romão foi construída pelo ponto de cultura Maloca e com doações e colaboração das moradoras e moradores do bairro Vila União. Inaugurada a cerca de um mês para ampliação de espaços públicos na região e como parte da programação do IV Sarau Maloca Resiste: a luta tem que avançar!

O ponto de cultura Maloca foi sujeito crucial para construir a praça. O espaço vem sofrendo há tempos, em especial o ano de 2017, com ameaças de desocupação. O mesmo foi concedido para uso comunitário, mas entre os anos de 2010 e 2014, a Cooperativa Habitacional de Araras (responsável pela compra e distribuição dos terrenos da vila União) vendeu 16 terrenos destinados a uso comunitário de maneira questionável e não publicizada, por valores muito abaixo do preço de mercado. Um dos terrenos é o da própria Maloca, que permanece na luta pela continuação do projeto.

Saiba mais em: Espaços de arte e cultura são vendidos arbitrariamente em Campinas

A vigilância privada ao lado da Maloca merece atenção, não só por estar instalada na praça comunitária, mas também por lhes oferecer ameaça ao espaço e a própria equipe de cultura. Fortalecer espaços como a Maloca, entre outros, é fundamental para tomar a cultura e a arte em nossas mãos, livra-la das fronteiras do capitalismo e lutar contra a censura, cada vez mais presente nos espaços institucionais no momento atual. Chamamos a todos a ajudar na divulgação e vigilância do espaço.




Tópicos relacionados

Maloca Arte e Cultura   /    Cultura

Comentários

Comentar