Internacional

CHILE

[Vídeo] Chile: Portuários, docentes e jovens marcham em Antofagasta contra Piñera e o estado de exceção

Milhares de pessoas marcharam esta segunda-feira pela ruas da cidade mineira. A União Portuária se somou à luta da população e chamou uma paralisação dos portos de todo o país em apoio às demandas sociais e contra a repressão do governo de Piñera. A paralisação atinge 100% da União Portuária e 90% dos portos do Chile.

segunda-feira 21 de outubro| Edição do dia

O amplo apoio popular que têm as atuais mobilizações no país não pára. Mesmo com a brutal repressão levada a cabo pelo governo de Piñera, por policiais e pelas forças armadas - que já assassinou pessoas, feriu gravemente centenas e realizou prisões violentas -, milhões de pessoas se mobilizam em todo o Chile.

O Governo de Piñera recrudesceu a repressão, já não é apenas a região metropolitana de Santiago que está sob o toque de recolher, mas também a região de Coquimbo, cidades como Valparaíso, Concepción e Temuco; além de empregar mais oficiais das Forças Armadas, alcançando os dez mil militares reprimindo nas ruas.
Diante disso, os trabalhadores portuários organizados na União Portuária votaram por paralisar todos os portos do país em apoio às manifestações e contra o estado de exceção imposto pelo governo. A paralisação já alcança 100% da União Portuária e 90% dos portos do Chile.

Além de Antofagasta, as mobilizações de portuários se estenderam a outras cidades como San Antonio e Valparaíso.




Tópicos relacionados

Retorno da luta de classes   /    Chile   /    Internacional

Comentários

Comentar