Educação

ESCOLA SEM PARTIDO EM CAMPINAS

Vereador do PSD em Campinas cria projeto “Escola sem partido” na cidade

O vereador Tenente Santini do PSD, mesmo partido do prefeito de Campinas Jonas Donizette, protocolou na Câmara, nesta terça-feira 01, um projeto de lei que institui o programa reacionário “Escola sem partido” na cidade.

Danilo Magrão

Professor de sociologia da rede pública

quinta-feira 3 de agosto| Edição do dia

Além de defender seu projeto baseado em princípios inexistentes como “neutralidade política, ideológica e religiosa”, o vereador ainda diz que a escola não não deve se envolver nas questões relacionadas à orientação sexual, mas também não deve permitir qualquer prática capaz de comprometer o desenvolvimento da personalidade dos estudantes em harmonia com sua identidade biológica, impedindo, portanto, a aplicação da teoria ou da ideologia de gênero”, reafirmando assim a emenda da opressão do vereador Campos Filho (DEM), que prevê a proibição do debate de gênero e sexualidade nas escolas de Campinas.

Segundo seu projeto, os professores não poderão fazer propaganda política na escola e incentivar os estudantes a participarem de manifestações, pois estes tem o direito de “não ser doutrinados”. Todos seus argumentos mostram que seu real objetivo é proibir qualquer debate crítico nas escolas da cidade e que os estudantes e professores possam ter o direito de se expressar sobre os diversos temas que dizem respeito às suas vidas.

O autor do projeto de lei “Escola sem partido” nacional, que inspirou o vereador de Campinas, é o senador Pastor Magno do (PR), um projeto reacionário, que já foi considerado inconstitucional e que está sendo rechaçado por diversos professores, estudantes, movimentos sociais por todo o país. Sob a aparência de “neutralidade” e “imparcialidade” quer reprimir professores e cercear a juventude, impedindo a escola de fazer debates que sejam críticos à realidade.

Convidamos todos os professores da cidade de Campinas a também se juntar aos estudantes e professores de todo o país e rechaçar esse projeto absurdo da Câmara de vereadores da cidade. Nossa educação que a cada dia é mais ameaçada pelos projetos dos golpistas, não pode ser amordaçada por alguns poucos privilegiados.




Tópicos relacionados

Campinas   /    Escola sem partido   /    Educação   /    Campinas

Comentários

Comentar