Gênero e sexualidade

ESQUERDA DIÁRIO IMPRESSO

Venha ser parte do Pão e Rosas!

Diana Assunção

São Paulo | @dianaassuncaoED

quinta-feira 20 de outubro| Edição do dia

Este ano as mulheres se levantaram contra os estupros e a violência, lutaram contra o golpe institucional, foram parte de importantes greves em todo o país e agora se mobilizam contra a PEC 241 que vai atacar principalmente as mulheres trabalhadoras. Nós do Pão e Rosas, que também construímos o Movimento Nossa Classe e a Juventude Faísca, estivemos na linha de frente de todas estas batalhas. Nas eleições municipais tivemos o orgulho de ter 80% de mulheres como candidatas na chapa do MRT pelo PSOL e levando com toda a força a luta pelos nossos direitos. Mas queremos seguir organizadas com centenas de novas companheiras porque a nossa luta é muito maior!

O Pão e Rosas é um grupo de mulheres impulsionado pelo Movimento Revolucionário de Trabalhadores, que existe em toda a América Latina, com muita força na Argentina, e que luta pela revolução operária e socialista. Acreditamos que a luta contra a opressão deve estar combinada a luta contra a exploração capitalista. Se hoje lutamos por cada direito mais elementar das mulheres, como o direito ao aborto, como a luta contra a violência, como a luta contra a precarização do trabalho que no nosso país tem rosto de mulher, como a luta contra a desigualdade salarial entre negras e brancas, a luta por creches, se lutamos por todos esses direitos o fazemos sempre com a perspectiva de quem quer acabar com esta sociedade capitalista de miséria e opressão.

Não acreditamos que um punhado de mulheres no poder ou em cargos de chefia vá mudar a realidade de milhões de mulheres e meninas que em todo o mundo são mais de 70% da população em situação de miséria. Nos enfrentamos com o patriarcado, com os patrões, com os governos que nos atacam e com todos aqueles que querem as mulheres como vítimas passivas desta sociedade. Por isso nos inspiramos nas grandes revolucionárias dos últimos séculos, nas mulheres rebeldes e lutadoras que foram partes de grandes greves operárias, lutas da juventude, processos revolucionários, que colocavam sua vida e sua luta para defender todas as mulheres mas também pra demonstrar que não podemos esperar mais nada do capitalismo e que se queremos nossa liberdade temos que lutar por uma outra sociedade, uma sociedade socialista.

Queremos agora organizar a luta contra a violência as mulheres rumo ao dia 25 de novembro, dia internacional de luta contra a violência as mulheres, e organizar uma enorme luta contra a PEC 241 que vai atingir em especial as mulheres trabalhadoras, com serviços mais precários, com a terceirização, com a falta de creches. Queremos ser parte de uma forte mobilização contra as reformas do governo Temer, denunciando a trégua das burocracias sindicais que não organizavam a luta de fato.

Para essa perspectiva tomamos o Esquerda Diário, em especial a sessão de “Gênero e sexualidade” como uma grande ferramenta pra levar adiante estas ideias. Venha ser parte do Pão e Rosas, acompanhe nossa agenda de atividades, cursos de formação teórica, participe de nossas campanhas, escreva e divulgue o Esquerda Diário. Porque exigimos nosso direito ao pão, mas também às rosas!

Acompanhe a grande luta #Niunaamenos do Pão e Rosas na Argentina
www.esquerdadiario.com.br/Genero-e-sexualidade




Comentários

Comentar