REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Veja mentiras do texto da "nova reforma" que a mídia não te conta

O texto da reforma da previdência, que será votado ainda neste mês, foi modificado para que pudesse conseguir mais votos. Entretanto, apesar da mídia tentar vender a nova reforma como algo "menos pior" veja como o trabalhador continua sendo massacrado pelos ataques do governo Temer.

quarta-feira 7 de fevereiro| Edição do dia

1) Juízes continuam se aposentando com quase 6 vezes mais que um trabalhador comum

Isso mesmo. Enquanto o trabalhador comum contribui por 15 anos para receber o mínimo do benefício, que é um salário mínimo, os juízes continuam ganhando suas grandes pensões. Os juízes escreveram uma carta reclamando que terão que "trabalhar mais" para se aposentar. Entretanto, as aposentadorias dos juízes R$ 33.700 reais como salário de aposentado, enquanto o trabalhador comum de um trabalhador da iniciativa, que pode receber até R$ 5.645,80 reais.

2) Para receber aposentadoria integral, terá que trabalhar até morrer

O novo texto reduz o tempo de contribuição, que aumentaria de 15 para 25 anos. Entretanto, essa redução para trabalhadores do regime geral, assim como para os servidores públicos, terão que trabalhar 40 anos para poder se aposentar com o valor máximo do benefício. É bom lembrar, que essa regra não se aplica aos juízes e políticos.

3) Aposentados só podem acumular benefícios até 2 salários mínimos, já os políticos...

Temer tem feito um forte trabalho para convencer a população da necessidade da reforma da previdência, e um dos discursos em andamento é: "acabar com privilégios", uma vez que políticos não poderiam se aposentar apenas com dois mandatos, como é o caso do próprio Temer e de Aécio Neves, por exemplo. Entretanto, suas aposentadorias são absurdamente maiores que de qualquer trabalhador brasileiro.

4) "Atacaremos privilégios": privilégios de quem?

O tempo de contribuição dos servidores públicos foi mantido. Temer diz na mídia que a reforma atacará esses "privilégios". Entretanto, os servidores públicos, que hoje já enfrentam dezenas de dificuldades nas mais diversas categorias, atrasos de salários recorrentes, como os servidores do Rio de Janeiro vem enfrentando. Esses trabalhadores, em situações precárias, continuarão contribuindo 25 anos e terão que contribuir 40 caso queiram aposentar com benefício integral. Ao contrário disso, os políticos e juízes permanecerão intactos, com seus benefícios gordos mantidos.

A regra de não se aposentar mais em dois mandatos vale apenas para "novos políticos".... ou seja, os "velhos políticos" não entram nessa reforma, e continuarão se aposentando com dois mandatos e benefícios cumulativos, já que eles podem acumular várias aposentadorias...

Louco por apoio

As modificações feitas por Temer buscam ter apoio para a aprovação da reforma. O texto simplificado, permite que ela seja aprovada com necessidade de menos votos favoráveis, e assim, ela fica aberta para modificações futuras através de medidas provisórias.

Lula promete fazer a "sua reforma".

Não queremos reforma da previdência! É preciso revogar a reforma trabalhista e a lei da terceirização e impedir a aprovação da reforma da previdência, através da construção de uma forte greve geral!




Tópicos relacionados

Greve Geral   /    Reforma da Previdência   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Poder Judiciário

Comentários

Comentar