Educação

CAOS NA EDUCAÇÃO DE SP

Veja denúncias de professores sobre o fechamento das salas de aula e demissões no estado de SP

terça-feira 30 de janeiro| Edição do dia

Como denunciamos no dia de hoje, o caos se instaurou nas atribuições de aula dos professores estaduais de SP. O governador Geraldo Alckmin que quer acabar com a educação pública no estado de SP deixou sem emprego muitos professores do estado que após ficarem em filas intermináveis e horas aguardando para adquirirem suas aulas foram impedidos de pegarem aulas por conta do fechamento de inúmeras salas de aulas na rede pública de SP. Recebemos algumas denúncias de professores indignados e divulgamos abaixo. O Esquerda Diário segue aberto para receber mais denúncias e está à disposição da luta dos professores do estado de SP para derrotar Alckmin e seu plano de desmonte da educação pública em SP. Encaminhe sua denúncia para esquerdadiario@gmail.com ou pelo inbox do Facebook na página oficial do Esquerda Diário (acesse aqui).

“Sou professora, minha formação educação física. Eu comecei no estado em 1993, ainda como estudante. Em 2006 foi o último momento em que eu consegui aula, eu fiquei um tempo sem dar aula no estado. A situação estava muito difícil em 2007 porque os professores categoria F acabaram perdendo a estabilidade. Eu entrei como professora categoria O em 2012, voltando pro estado. Renovei meu contrato em 2014 e agora este ano eu fui mandado embora né? Meu contrato foi rescindido. Eu fui obrigada a assinar a rescisão. E estamos aqui na atribuição de hoje, na minha área já não tem aula e muito poucas para as demais áreas. A revolta é total. Eu já passei por um estado de depressão entre 2007 e 2011. Eu tenho formação, sou pós-graduado, tenho duas pós-graduações e estou aqui. As pessoas estudam e são chamadas de burras, mesmo se esforçando pra conseguir passar alguma coisa. Mas a gente continua na luta, espero que esse depoimento meu sirva pra alguma coisa, pra gente continuar lutando!”
Professora de educação física da zona norte de São Paulo (a professora preferiu ficar anônima e não se identificar)

Luciana Vizzotto, conselheira estadual da Apeoesp pela Sudoeste, denuncia a situação dos professores na Zona Oeste de SP:

Professora de matemática, Mônica Violeta, da zona norte de São Paulo:

Professora de ciências, Ana Carolina, da zona norte de São Paulo:

Professor de artes, Denison Barbosa, da zona norte de São Paulo:

Depoimento da professor de história Márcio Mendes, da zona norte de São Paulo:

VEJA TAMBÉM
- Desemprego massivo dos professores contratados "categoria O" em SP
- Filas intermináveis e demissões marcam atribuição de aula dos professores do estado de SP
- Aulas iniciarão em São Paulo com professores estáveis em subempregos
- Professores de SP são obrigados a trabalhar em até 6 escolas diferentes para manter seu sustento




Tópicos relacionados

Apeoesp   /    Professores São Paulo   /    Educação   /    Professores   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar