Veja as intervenções do Nossa Classe no 3° dia do Congresso da CSP Conlutas

Acompanhe a intervenção do Movimento Nossa Classe, agrupação impulsionada pelo MRT e independentes construída trabalhadores da educação, metrô, bancários, operários fabris, entre outras categorias, neste terceiro dia do 4° Concresso da CSP Conlutas, que teve a presença de trabalhadores de diversas categorias de todo o país.

domingo 6 de outubro| Edição do dia

Professora Maíra Machado, professora da rede estadual e diretora da APEOESP pela Oposição, defende as preposições do Nossa Classe para uma política sindical que não separe as lutas econômicas da defesa dos direitos democráticos, neste 4° Congresso da CSP Conlutas.

Claudionor Brandão, diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP (SINTUSP), demitido político e militante histórico do MRT, defende que a CSP Conlutas reveja suas posições diante do golpe institucional e em relação a prisão arbitrária de Lula.

Tufão, diretor da nova gestão do Sindicato dos Metroviários de São Paulo e militante do Nossa Classe, medidas anti-burocráticas como o rodízio dos diretores, a proporcionalidade, assembleias de base que sejam a expressão da base, além da defesa dos terceirizados pela sua efetivação.

Graziele, professora da rede estadual e militante do Nossa Classe, denuncía a brutalidade das opressões e da exploração capitalista. Por uma investigação independente do assassinato de Marielle Franco, em denúncia da brutalidade da política genocida de Witzel que executa crianças como Agatha. Por uma campanha nacional pela liberdade de Preta Ferreira e de todos os presos que lutam por moradia.




Tópicos relacionados

Movimento Nossa Classe

Comentários

Comentar