Educação

PROFESSORES DE SP

Veja abaixo assinado pelo pagamento dos salários dos professores eventuais já

Além de parlamentares e entidades de trabalhadores e de estudantes, professores universitários e intelectuais também assinaram o abaixo assinado pelo imediato pagamento dos salários dos professores eventuais do estado de São Paulo.

sexta-feira 24 de julho| Edição do dia

[FOTO: Professor eventual diz em conversa que já vendeu seu notebook (seu instrumento de trabalho) e até sua TV para poder pagar suas contas, devido a falta de salário e a recusa do auxílio emergencial.]

Este mês, no Estado de São Paulo, 35 mil professores da rede estadual - categoria O e eventuais - completam 4 meses sem receberem absolutamente nada de salário por não terem atribuição de aulas desde o início das medidas insuficientes de isolamento social implementado pelo governador João Doria (PSDB), sem testes para todos e sem bases claras de quais seriam as melhores formas de se combater essa pandemia. São 35 mil educadores, 35 mil famílias que perderam suas rendas, 35 mil professoras e professores que hoje fazem parte do enorme número de trabalhadoras e trabalhadores que sofrem com o descaso do governo.

Além de parlamentares e entidades de trabalhadores e de estudantes, professores universitários e intelectuais também assinaram o abaixo assinado pelo imediato pagamento dos salários dos professores eventuais do estado de São Paulo.

Confira abaixo:

35 mil professores sem salário: eu não aceito!

Nós abaixo assinados nos manifestamos contra o absurdo de mais de 35 mil professores eventuais e temporários estarem sem salário há 4 meses desde o início da Pandemia. Está situação escancara a enorme precarização da educação que é levada a frente pelo Governador João Doria e seu Secretário da Educação Rossieli Soares, e de que os trabalhadores são os que mais pagam pelos efeitos da crise sanitária e econômica. Por isso, repudiamos fortemente esta situação e exigimos que todos os professores tenham os mesmos direitos para realizar a quarentena. O que significa o imediato pagamento do piso salarial para todos. #Asvidasdostrabalhadoresimportam

Assinam:

1. Movimento Revolucionário de Trabalhadores /Nossa Classe
2. Tati Ribeiro - Coordenadora Nacional da Rede Emancipa
3. Sandro Pimentel - Deputado Estadual (PSOL-RN)
4. Maria Madalena Nunes - Coordenadora do Núcleo Piauí ACD - Intersindical PI
5. Eudes Xavier, ex deputador federal pelo PT e pré-candidato a vereador em Fortaleza-CE
6. Mônica Seixas - co-deputada em São Paulo pelo PSOL (Bancada Ativista)
7. CACH - Centro Acadêmico de Ciências Sociais e História da Unicamp
8. Rede Emancipa
9. Gregório Duvivier
10. Vladimir Safatle - Professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP
11. Denis de Oliveira - Professor da Escola de Comunicação e Artes da USP
12. Plínio de Arruda Sampaio Jr. - Prof. aposentado do Instituto de Economia da Unicamp
13. Silvio Almeida - Professor e Advogado
14. Resistência – PSOL
15. Coletivo Reviravolta na Educação CSP-Conlutas
16. Renata Gonçalves - Professora UNIFESP
17. Alessandra Viveiro - Faculdade de Educação/Unicamp
18. Carlos Miranda - Docente - DELART/FE/Unicamp
19. Inês Ferreira de Souza Bragança - Professora da Faculdade de Educação/Unicamp
20. Ricardo Antunes - Professor do IFCH/UNICAMP
21. CSP-Conlutas
22. Toninho Vespoli - Vereador pelo PSOL em São Paulo
23. Professor Sean Purdy - Professor USP
24. CAPPF - Centro Acadêmico Professor Paulo Freire - USP
25. CAELL - USP
26. Resistência Popular Sindical - SP
27. Isa Penna - Deputada Estadual em São Paulo pelo PSOL
28. Sintusp - Sindicato dos trabalhadores da USP
29. Cristiane Machado Docente - Depase/Faculdade de Educação UNICAMP
30. Heloísa Matos Lins - Docente da FE/UNICAMP
31. Adilson Nascimento - professor Delart/FE/ Unicamp
32. Flavio Gomes - Coordenador do Sindsaúde RN




Tópicos relacionados

Educação

Comentários

Comentar