Política

VENDA DE CARGOS

Vale tudo para escapar da denúncia, Temer negocia cargos em troca de votação

Votação para o acolhimento da denúncia contra Temer encaminhada pelo procurador geral Rodrigo Janot somente ocorrerá no dia 2 de agosto. Entretanto, as movimentações do presidente para evitar a abertura do inquérito não param. Depois de se valer das emendas parlamentares, o presidente está negociando cargos em troca de apoio.

quarta-feira 19 de julho| Edição do dia

Na batalha para evitar o acolhimento da denúncia contra ele, que irá para votação no plenário da Câmara somente no dia 2 de agosto, Temer tem se valido de todas as suas armas. O presidente já havia utilizado do expediente da liberação das emendas parlamentares, dinheiro previsto para utilização dos parlamentares mas prontamente antecipada para as vésperas da votação na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara.

Dessa vez, Temer se valeu de um método mais explícito. O presidente começou a distribuição de cargos em troca dos votos contrários ao acolhimento da denúncia. Diário Oficial da União (DOU) traz três nomeações de indicados por apoiadores de Temer, além da retaliação a uma traição do presidente.

Duas nomeações vieram como retribuição ao PSC, do deputado André Moura, que foi agraciado com a nomeação de dois indicados para ocupar diretorias da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência: Matheus Belin e Antônio Ricardo de Oliveira Junqueira.

O deputado Alberto Fraga (DEM-DF) também emplacou Roberto Postiglione de Assis Ferreira Junior para o cargo de diretor de planejamento e avaliação da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco).




Tópicos relacionados

Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar