Mundo Operário

REPRESSÃO

VÍDEO | Momento que BM quebra quadro para incriminar municipários em Porto Alegre

Durante a repressão aos municipários que ocorreu neste quarta (11) na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, vídeo flagra momento em que Brigada Militar quebra um quadro com um cassetete.

quarta-feira 11 de julho| Edição do dia


WhatsApp Video 2018 07 11 at 21 17 13 1 - YouTube

O quadro de um antigo presidente a Câmara teve o vidro de proteção quebrado durante a repressão aos municipários promovida pelo governo Marcheza-PSDB. O fato foi tratado por repórter da Zero Hora como resultado de uma "confusão", como se tivesse algum confronto entre BM e municipários e por algum acaso quebrou sem que saibamos quem o fez. Veja o vídeo:

Essa linguagem é comum dos veículos da grande mídia para tirar o peso da repressão bruta característica dos pelotões de choque e desviar a culpa para os trabalhadores, estudantes e manifestantes em geral. Entretanto, um vídeo flagra o momento exato em que um policial ataca a parede e o quadro com seu cassetete. Confira:

A foto abaixo mostra o twitter da repórter da Zero Hora, atribuindo a quebra de quadros a um suposto confronto:

E assim Marchezan reprime os municipários, com a Guarda Municipal e Brigada Militar, para atacar direitos históricos conquistados pelos servidores. Também ataca os serviços públicos mais básicos da capital, descarregando a crise dos capitalistas nas costas dos trabalhadores e da população, ao passo que mantém um número absurdo de CC’s com uma série de privilégios.

É necessário dar toda força para este movimento e fortalecer a resistência aos ataques promovidos por Marchezan e seus comparsas de sua base aliada, da RBS ou da policia militar. Amanhã (12), terá nova sessão na Câmara às 9:00hs, desta vez não será aberta ao público. Os municipários já fizeram o chamado para concentração a partir das 7:30hs em frente Câmara.

Veja o momento em que a polícia prendeu uma municipária:




Tópicos relacionados

Marchezan   /    Porto Alegre   /    Repressão   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar