Sociedade

TORTURA NOS PRESÍDIOS

VÍDEO: Guardas fazem sessões de tortura em presídios em Goiás

Vídeos de inspeções de presos mostram guardas torturando presos indefesos. Questionados, ex-comandantes penitenciários afirmam ser "procedimento normal".

quinta-feira 30 de novembro| Edição do dia

Uma série de vídeos recentemente entregues ao Ministério Público de Goiás mostram a situação grave do sistema penitenciário brasileiro, tal como o tratamento ao qual presos são submetidos no país.

Nas gravações, agentes do Grupo de Operações Penitenciarias (Gope) são vistos torturando e aterrorizando presos durante revistas. As vítimas são submetidos a choques elétricos, além de espancados; em nenhum dos casos, o preso incita ou reage às agressões.

Os casos, longe de serem novidades ou exceção, se configuram prática comum. Os vídeos, que só vieram ao ar recentemente, teriam sido gravados faz um ano, de acordo com o promotor de justiça Marcelo Celestino. Além destas provas cabais de crime, a prática de tortura nos presídios já foi denunciada, inclusive, em uma carta, enviada ao próprio Celestino por um preso do Núcleo de Custódia, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital aonde é narrado os abusos cometidos por guardas ao terminar o banho de sol que, durante uma revista, jogam spray de pimenta nos olhos dos presos.

Procurados pelo jornal O Popular, João Cláudio, ex-coordenador do GOPE, e Rodrigo Araújo, que era subcoordenador, sequer tentam esconder suas práticas, evidenciando a impunidade que sentem ao maltratar os cidadãos sub sua custódia. “Isso já é um processo antigo que eu respondo, de oito anos atrás. As pessoas podem até se assustar, mas é o procedimento adotado em todo o país.” Enquanto investigados pelo MP, ambos estão aconchegados em serviços administrativos.

Essa investigação especifica já compreende inúmeros presídios no Estado de Goiás, onde presos são rotineiramente maltratados nas mãos dos guardas das prisões, modernos capitães do mato do capitalismo, mas, como não nega, mesmo o torturador, o abuso a presos está presente em todos os confins do sistema prisional brasileiro.

Esses são mais um exemplo de como o povo pobre é vitimado por esse sistema prisional racista e elitista onde a juventude negra e periférica é vitima das péssimas condições e da falta de julgamentos, além do abuso dos pretensos guardas, que só servem para reforçar a subjugação social sofrida capitalista. O que esperamos desse sistema prisional e da justiça desse país, que pune na maioria das vezes brutalmente negros(as) e pobres, e deixa livres os(as) culpados(as) de delitos muitos mais graves (e comprovados) governando o país? A tortura sempre será “procedimento padrão” na prisão feita pelos ricos para prender o povo pobre e negro!




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Violência Policial

Comentários

Comentar