Educação

LANÇAMENTO

VEJA: vídeo do 1° lançamento do livro “Brasil: ponto de mutação” na Zona Norte de SP

Realizado na Zona Norte de São Paulo dia 10/05, o lançamento do livro “Brasil: ponto de mutação”, com a presença de Edison Urbano, Marcella Campos e Mauro Sala, reuniu dezenas de professores num importante debate sobre as mudanças no regime que expressam a eleição de Bolsonaro e a crise pela qual passa o país, tocando diversos aspectos também debatidos nessa primeira atividade, como a educação.

segunda-feira 27 de maio| Edição do dia

Na sexta-feira, 10 de maio, o Nossa Classe Educação e o portal de notícias Esquerda Diário, realizaram o primeiro lançamento do livro ‘Brasil: Ponto de mutação’ na zona norte da cidade de São Paulo. Professoras, professores, estudantes e trabalhadores de diversas categorias, estiveram presentes e realizaram um debate sobre as mudanças em curso no regime expressas na eleição de Bolsonaro e a Educação – temas que também são abordados no livro. O evento contou com a presença de Edison Urbano, co-autor, organizador do livro e dirigente do MRT – Movimento Revolucionário de Trabalhadores; Mauro Sala, professor do IFSP e doutorando em Educação na Unicamp e Marcela Campos, professora da rede estadual de São Paulo, que compuseram a mesa de debates mediada por Grazieli Rodrigues, professora da rede municipal de São Paulo e militante do Mov. Nossa Classe Educação.

O livro recém-lançado, que já teve sua primeira tiragem esgotada, aborda temas fundamentais para e entendimento e análise das transformações que o regime político vem passando com o desdobramento da crise internacional do Capitalismo, que aqui no Brasil passou a ser sentida de maneira mais profunda desde 2013, tendo como inflexões o Golpe Institucional de Dilma em 2016, a prisão arbitrária de Lula em 2018, o fortalecimento da extrema-direita e a eleição de Bolsonaro, além de debates como o Bonapartismo judiciário, o papel das burocracias sindicais em separar e isolar os trabalhadores, os limites da estratégia parlamentar e reformista do PT seguida hoje por partidos da esquerda como o PSOL, a Educação no centro dos ataques do governo Bolsonaro, entre outros temas, saiba mais aqui.

Às vésperas do 15M onde mais de 1 milhão de estudantes, professores e trabalhadores da educação se colocaram em luta contra os cortes na Educação e a Reforma da Previdência nas ruas de todo país, esse rico debate tocou também a questão da estratégia de separação da pauta dos cortes da educação que segue em alta, principalmente nas Universidades Públicas, da necessária batalha contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro, separação essa que já alertávamos naquele momento e que se mantém até agora, como uma consequência da política das Centrais Sindicais de isolar a luta da educação – que já tem novo ato chamado para 30/05, da Greve Geral cuja convocação foi mantida para 14/06, com as direções do movimento estudantil e sindical, principalmente CUT e CTB que estão à frente também da UNE e que ignoram (porque temem) a potencialidade da aliança entre os trabalhadores e estudantes que poderia incendiar o país como demonstraram os atos do dia 15. Saiba mais aqui.

As três exposições apresentaram aspectos muito importantes do necessário debate político livro busca contribuir e com os desafios colocados à juventude e aos trabalhadores que sofrem os ataques do governo Bolsonaro e sentem diariamente os reflexos da crise política e econômica que querem descarregar em nossas costas. Edison Urbano, partindo de um panorama internacional da crise capitalista que já dura mais de dez anos, ajudou a entender como chegamos até aqui no momento político que enfrentamos hoje, analisando os reflexos da crise na situação nacional, que culminou no Golpe Institucional e nas eleições manipuladas pelo judiciário que levaram a eleição de Bolsonaro e a chegada da extrema-direta ao poder, desenvolvendo importantes conceitos para uma análise marxista da realidade, como “ bonapartismo” (judiciário) e “crise orgânica”. Mauro Sala, resgatando a tradição de lutas das professoras que historicamente defenderam demandas do conjunto da classe trabalhadora e setores oprimidos e entre outras coisas, destacou a vocação de “tribuno do povo” da categoria em relação aos setores oprimidos e do conjunto da classe trabalhadora, ajudando a entender porque a Educação está no alvo dos ataques de Bolsonaro desde antes de sua eleição dado potencial explosivo da juventude e dos professores à quem declararam guerra, chamando atenção para relação entre o destino dos professores e do restante da classe trabalhadora, tendo em vista que um rebaixamento das condições de vida do conjunto dos trabalhadores é o rebaixamento da vida dos professores e de suas condições de trabalho, para pensar o caráter estratégico das alianças entre as categorias. Marcella Campos, contribuiu com uma importante análise das mudanças na estrutura sindical à luz da crise e do novo governo e também da atuação das direções e burocracias – resgatando seu papel histórico e no caso brasileiro sua ligação ao Estado, dialogando a partir deste eixo a estratégia de separação das lutas contra a Reforma e os cortes à educação que se desenhava para o 15M, além da política dos partidos e organizações da esquerda, como PSOL, PSTU e a sua central, CSP Conlutas que tão pouco denunciaram a estratégia das grandes direções dessa política como PT e PCdoB e suas Centrais Sindicais, a CUT e a CTB, permitindo que as Centrais como a Força Sindical e UGT sigam com políticas traidoras de apoio à Reforma e declarações que mostram como estão abertamente dispostas a negociá-la em nosso nome.

Após as exposições da mesa o público presente realizou intervenções que enriqueceram muito o evento. Professores, estudantes e trabalhadores – inclusive metroviários, que recentemente demonstraram uma grande força através do uso dos coletes contra a Reforma que conquistou amplo apoio da população, contribuíram com reflexões e relatos pessoais de experiências políticas, análises desse momento e importantes questões. Vejam a live completa da atividade:

Chamamos todas e todos a assistirem a live acima, que realizamos na atividade e foi disponibilizada na página do Esquerda Diário, compartilhá-la com os amigos e pessoas que se interessem por esse importante debate e também à conhecerem melhor nosso livro, que também pode ser adquirido através do contato pela page do ED no Facebook.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Movimento Nossa Classe   /    Educação   /    Professores   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar