Opinião

TRIBUNA ABERTA

“VAI PRA CUBA!”? - Você não tem moral para falar isso

quarta-feira 30 de novembro| Edição do dia

Durante a Guerra Fria, todo o ocidente, principalmente os países da América Latina, foi massacrado por propaganda anticomunista, sobretudo demonizando a revolução cubana e seus líderes, tais como Castro e Guevara. Era até compreensível, em um mundo bipolar e um Brasil sob a área de influência dos EUA, se éramos capitalistas automaticamente éramos um inimigo do ideário marxista e devíamos lutar com unhas e dentes para afastar a ameaça comunista (não estou entrando no mérito sobre qual sistema econômico é mais desejável, muito menos justificando a ditadura e o golpe, só digo que fazia sentido uma luta contra o comunismo).

Entretanto agora estamos em pleno 2016, pleno acesso aos livros de história, as mídias com diversos conteúdos, democracia restaurada, eu e meus contemporâneos tivemos que aprender na escola o que foi União Soviética e Guerra Fria e um dos maiores bordões dos setores mais a direita da sociedade é "vai pra Cuba" - em um sentido pejorativo, apontando uma suposta hipocrisia de quem nem comunista é. Só de ter votado no PT, PC do B ou PSOL em alguma eleição você já merece esse "xingamento".

Eles mandam para Cuba, para o onde eles mesmos chamam de "paraíso socialista" - em tom obviamente irônico- no intuito de querer dizer: "se você é um real socialista larga sua vida boa no Brasil e vai viver no comunismo decadente, miserável e sofrido de Cuba". É aí que entra a questão: um cubano defensor do regime, em uma conversa com outro cubano defensor do capitalismo, tem muito mais moral para dizer para o amigo capitalista: "vai para o Brasil, aquele paraíso capitalista" do que um brasileiro no sentido oposto.

Eu já tive a oportunidade de conhecer dez países do mundo (Argentina, Chile, Uruguai, Panamá, Cuba, Canadá, Portugal, França, Reino Unido e Noruega) e afirmo que o Brasil é pior do que todos esses. Pode ser injusto comparar o Brasil com o Canadá ou a Noruega, mas ainda assim continuamos distantes da Argentina, Panamá ou mesmo Cuba, que não são suprassumos da prosperidade econômica e desenvolvimento social, como o Canadá e as nações europeias. Dentre esses, o Brasil é o mais desigual economicamente, o com maior número de homicídios (ou seja, o mais violento), o com mais estupros, com piores índices de educação e saúde e o mais pobre em números relativos.

(Irônico também é que os brasileiros que vão para Cuba são os que menos precisam de ir para Cuba. Viajar para Havana é uma das viagens mais caras para brasileiros, ir para a Europa costuma ser mais barato. Dessa forma, se os nossos compatriotas que realmente "precisam" ir para a terra de Fidel o fizessem, certamente iriam preferir ficar por lá.)

Sim, o Brasil é mais pobre do que Cuba, relativamente. De acordo com o Fundo Monetário Internacional, em um levantamento de 2014, o PIB per capita por paridade de poder de compra do Brasil era de 15.893 dólares e o de Cuba de 20.611 dólares. Podem parecer estranhos, para você que é meu amigo no Facebook (logo faz parte do meu círculo social) e que provavelmente tem uma vida confortável no Brasil, esses dados, mas isso pode ser explicado pelo fato do Brasil ser o 2º país mais desigual do G 20 e o 8º mais desigual do mundo. Felizmente nós fazemos parte dos 10% dos brasileiros que têm um padrão de vida melhor do que o cubano médio e do que o brasileiro médio, mas sua empregada, motorista ou aquele favelado que pede dinheiro no sinal preferiria muito mais ter nascido na ilha do caribe, mesmo não sabendo disso.

Na verdade, maioria do brasileiros preferiria ter nascido em outro país latino-americano. Nós precisamos de melhorar muito antes de chamar Cuba de "paraíso socialista" - se o socialismo deu errado em Cuba, no Brasil o capitalismo deu muito mais - aliás, antes de debochar de qualquer país de nossa vizinhança, seja Venezuela ou Argentina. Está faltando humildade, reconhecer que nossos indicadores sociais são vergonhas mundiais.




Tópicos relacionados

Opinião

Comentários

Comentar