Educação

SANTO ANDRÉ

Universitários da cidade de São Caetano do Sul sofrem com os cortes de bolsas

Diante dos ataques do governo golpista de Temer e fruto da PEC 55, universitários da cidade de São Caetano do Sul no grande ABC, sofrem com os cortes de bolsas.

domingo 27 de agosto| Edição do dia

Nessa última terça feira (22) ocorreu mais uma tentativa de diálogo com o legislativo da cidade. Estudantes que lutam pelo retorno das Bolsas de Estudo da FAPSS (Faculdade Paulista de Serviço Social de SCS), da USCS (Universidade de São Caetano do Sul), da FASCS (Fundação das Artes de SCS) e também da ASPESCS (Associação de profissionais da educação de SCS) que tem em suas reivindicações o retorno do convênio médico que foi cortado e o dissídio salarial que lhes foram negados, e a incorporação do abono salarial sem qualquer redução, participaram da sessão extraordinária na Câmara dos Vereadores de São Caetano do Sul e novamente esse atual governo mostra sua indiferença com as demandas da população.

É de conhecimento de todos da região que as bolsas foram cortadas no início deste ano sem aviso prévio pegando assim todos os estudantes de surpresa, uma vez que em campanha eleitoral o atual prefeito José Auricchio Jr. (PSDB) e muitos vereadores eleitos na cidade prometeram o aumento e o alcance das bolsas de estudo e também do AEC (Auxílio Estudantil Complementar), esse corte acabou endividando os estudantes e muitos terão que interromper seus cursos.

Durante a sessão na qual definia o projeto de aumento de 20% de recursos direcionado para a Bolsa monitoria da FASCS no segundo semestre deste ano e votação para o reajuste dos salários dos servidores da Câmara Municipal os munícipes colocavam em pauta suas demandas, porém os vereadores ali presentes demonstraram total indiferença aos estudantes, aos profissionais da educação e todos os trabalhadores ali presentes, expressando total desrespeito a todos.

Encerrada a sessão com todos os projetos aprovados sob vaias e gritos da maioria dos presentes, os estudantes e professores tomaram a Avenida Goiás, a principal via da cidade, com o objetivo de chegar ao Teatro Santos Dumont onde o prefeito José Auricchio Jr era aguardado no evento de comemoração de uma revista tradicional de São Caetano do Sul.

Entoando palavras de ordem os trabalhadores fortalecidos pelos estudantes tomaram o Teatro que é um equipamento público e aguardaram o Prefeito que se omitiu mais uma vez em escutar a população. Fica nítido a quem a prefeitura tucana de São Caetano do Sul serve, seguindo o projeto golpista, querendo acabar com o direito das filhas e filhos da classe trabalhadora, de estudar e concluir suas graduações.

Vivemos em tempos sombrios onde lutar pelo óbvio se faz necessário, temos todas essas reformas aprovadas a toque de caixa e a retirada de nossos direitos conquistados a base de sangue e suor.

Auricchio, a luta vai continuar até que os objetivos e demandas da classe trabalhadora da cidade sejam alcançados. Não daremos descanso a esse governo!

O Coletivo Juntos Somos Mais Fortes é composto por militantes do MRT, Juventude por mais direitos, PSOL e independentes, nós do Movimento Revolucionário de Trabalhadores, entendemos que esta luta deve avançar e chegar a muito mais estudantes, devemos ampliar nossas demandas e ter um visão sobre toda a conjuntura Nacional, defendemos a auto-organização para que cada trabalhador seja sujeito político, e que a luta pelas bolsas não seja um fim nela mesmo, mas que seja apenas uma faísca para criarmos uma explosão de reivindicações e lutas, por isto desde já, fazemos um chamado para que cada trabalhador a partir do seu local de estudo ou trabalho traga sua demanda e se junte conosco nesta luta, para chegarmos a milhões de estudantes e trabalhadores.




Tópicos relacionados

Educação   /    Educação

Comentários

Comentar