Educação

PROFESSORES

Universidade Metodista é obrigada a reintegrar 83 professores demitidos arbitrariamente

A faculdade havia dispensado 83 professores no fim do ano passado. A Juíza da 8ª Vara de São Bernardo do Campo entendeu que houve arbitrariedade nas demissões e pede reintegração imediata dos docentes.

terça-feira 13 de março| Edição do dia

Em dezembro do ano passado, a Universidade Metodista no ABC paulista demitiu 83 professores dizendo que era necessário o ajuste do quadro para a sobrevivência da instituição, assim como a extinção de alguns cursos e a redução de carga horária dos professores.

Nesta última sexta-feira (9), a Juíza Valéria Pedroso anulou as demissões e determinou a reintegração dos docentes em 15 dias, assim como os salários vencidos desde que foram demitidos até a efetivação, férias, 13º salário e FGTS.

Isso mostra qual é o real interesse das universidades privadas. Mestrandos perderam orientadores, graduandos tiveram bancas de conclusão de curso (TCC) adiadas ou incompletas, prejudicando assim o ensino e a pesquisa na universidade para manter seus lucros. Sem preocupação com a qualidade do curso, os donos de universidades privadas demitem funcionários e fecham cursos a seu bel prazer, pensando apenas em seus bolsos.

“[...] Causa impacto social na medida em que gera efeitos aos estudos e pesquisas avançados - graças a dedicação de profissionais com alta qualificação e experiência - ora dispensados maciçamente.” Diz juíza sobre o ocorrido.

Caso a decisão seja descumprida, a universidade terá que pagar R$ 1 mil por dia para cada trabalhador prejudicado.




Tópicos relacionados

Demissões   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar