Sociedade

PRECARIZAÇÃO NA SAÚDE

Unidades de Saúde seguem fechadas e sem previsão de abertura em Santo André

O Prefeito Paulinho Serra fechou 7 unidades com a justificativa de estar fazendo "reformas de modernização do sistema e de equipamentos." As tais reformas nem começaram ainda

quarta-feira 1º de novembro| Edição do dia

Diversas denúncias da população e também de funcionários da saúde foram feitas no último semestre sobre a situação caótica dos hospitais públicos de Santo André. O prefeito, Paulinho Serra fechou 7 unidades de saúde para, segundo ele, reformas, modernização do sistema e equipamentos. As reformas nem começaram e a previsão é que se iniciem apenas no ano que vem, mas sem data definida para isso.

O prefeito, que segue à risca o modelo privatista de João Dória, nomeou esse programa de QualiSaúde e sua intenção é passar para uma empresa privada a administração do serviço público de Saúde. Alguns hospitais estão fechados há meses e aqueles que seguem abertos estão em péssimas condições, com pacientes que são deixados nus, sem lençóis nas camas e macas e alguns casos cobertos somente com cobertor de lã.

Mesmo com protestos na câmara dos vereadores a prefeitura não dá explicações concretas sobre o fechamento das unidades de saúde e nem mesmo quando elas serão reabertas. Em um dos protestos, a secretária de educação, Ana Paula, foi questionada e ao não dar respostas sobre a situação, denunciou a população dizendo que o protesto era uma agressão contra ela.

A professora Maíra Machado também denunciou o caos na saúde pública nas redes sociais com um vídeo que chegou a mais de 100 mil visualizações e recebeu centenas de mensagens de apoio.

Agora, a prefeitura de Santo André afastou temporariamente a secretária de saúde do cargo, com ela alegando motivos pessoais. No seu lugar, ficará Ricardo Macarini Ferreira como secretário adjunto, mas os boatos na cidade são de que o ex prefeito Aidan Ravin, do PSB assuma esse cargo. Aidan que é médico, foi eleito se baseando na mentira de que melhoraria a saúde da cidade, mas em sua gestão só houve pioras nos hospitais, além do que trabalhadores de serviços gerais dos hospitais denunciaram na época a falta de pagamentos.

O que a prefeitura não respondeu até agora e a população segue perguntando é quando as unidades de saúde serão reabertas. Os funcionários seguem trabalhando com acúmulos de função, com médicos atendendo diversas pessoas ao mesmo tempo, com exames que não são feitos com qualidade, exemplo são os RX que são impressos em papel, dificultando um diagnóstico preciso tudo isso por causa da falta de equipamentos nos hospitais.

Seguimos exigindo a reabertura imediata das unidades de saúde fechadas de acordo com as necessidades da população.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Saúde   /    Política

Comentários

Comentar