Sociedade

CRISE NOS ESTADOS

União anuncia novo bloqueio de R$ 109,5 milhões ao Rio para ser descontado do trabalhador

A secretaria de Fazenda do Rio informou que o Estado deverá sofrer um novo bloqueio nas contas, no valor de R$ 109,5 milhões. O montante deverá ser bloqueado nas contas bancárias entre os dias 7 e 8 de junho. De acordo com a Fazenda, trata-se de mais uma execução de contragarantia pelo não pagamento de dívidas garantidas pela União.

terça-feira 6 de junho| Edição do dia

A secretaria de Fazenda do Rio informou que o Estado deverá sofrer um novo bloqueio nas contas, no valor de R$ 109,5 milhões. O montante deverá ser bloqueado nas contas bancárias entre os dias 7 e 8 de junho. De acordo com a Fazenda, trata-se de mais uma execução de contragarantia pelo não pagamento de dívidas garantidas pela União.

O governo vem alegando que arrestos e bloqueios dificultam a divulgação do calendário para o pagamento de salários dos servidores públicos. Até agora apenas as áreas de segurança e educação receberam os vencimentos de abril. Na realidade trata-se de uma escolha política de Pezão e seu governo de pagar a dívida do Estado, garantindo o lucro dos bancos, e despejar os custos da crise e dos cortes do governo Temer sobre os direitos básicos do trabalhador e sobre os bens públicos, privatizando-os.

Na tarde desta terça-feira, 6, às 15 horas, o governo do Rio tentará aprovar na Assembleia Legislativa (Alerj) o projeto de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) - programa que prevê a suspensão da cobrança de dívidas com a União por até três anos e a contratação de novos empréstimos.

Os deputados também deverão apreciar as contas de 2015 do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), ponto importante para permitir a análise das contas de 2016.

Além dele, o governo do Rio quer aprovar os projetos que alteram regras para concessões de pensões do fundo previdenciário do Estado e criam um teto para os gastos de todos os poderes. Durante a Marcha em Brasília, com base em muita repressão, a ALERJ, a serviço de Pezão e de Temer, já aumentaram a alíquota previdenciária de todos os servidores.

Pode te interessar: Nessa terça, ALERJ votará novos ataques contra servidores a serviço de Temer e Pezão




Tópicos relacionados

Luiz Fernando Pezão   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Sociedade   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar