Mundo Operário

HOMENAGEM AOS ENTREGADORES

Uma homenagem a todos os entregadores que perderam suas vidas pelo descaso das empresas

Thiago Dias, Mario, e tantos outros que perderam suas vidas pelo descaso das empresas de app, presentes! No dia do Breque dos apps nós do Esquerda Diário homenageamos todos os que perderam suas vidas no corre.

quarta-feira 1º de julho| Edição do dia

Hoje entregadores ao redor de todo o Brasil, e também na Argentina, Chile, México, Equador, Costa Rica e Guatemala fazem um dia de paralisação por melhores condições de trabalho. E neste dia, nós do Esquerda Diário também lembramos daqueles que perderam suas vidas fruto das condições precárias e da negligência das empresas de app.

Em 2019 a morte de Thiago Dias, entregador da Rappi chocou todos que se depararam com a notícia. A empresa não só não ofereceu qualquer tipo de assistência, e pior, insistiu na pergunta se ele conseguiria terminar a entrega, mesmo depois de acidentado.

Thiago Dias não foi o único. Vítimas de acidentes, ou então da pandemia, agora que os entregadores estão diariamente na linha de risco da contaminação para garantir seu sustento. Na quarta (dia 27), Mario, entregador de Porto Alegre morreu em acidente, e a empresa Fredex, grupo de terceirizados que o contratou, foi até o local para retirar a maquininha e as comandas do corpo do entregador, e só não levou a caixa de transporte porque outros entregadores não permitiram.

Na Argentina, em maio, foi Miguél Angel Machuca que faleceu, e já são mais de 4 desde o início da quarentena no país que perderam suas vidas.

Os entregadores fazem parte da categoria que carrega nas costas não só as mochilas, mas carrega o peso de ser uma das categorias mais precárias de trabalho, e que sofrem as consequências da uberização das relações de trabalho e as flexibilizações de legislações trabalhistas, que para muitos são pagas com suas próprias vidas.

A luta dos entregadores por melhores condições de trabalho é também uma luta por suas vidas, que constantemente se perdem pela negligência das empresas, seja com os acidentes, seja com a segurança necessária para a proteção do coronavírus, já que muitos entregadores estão desde o início da pandemia garantindo seus EPIs do próprio bolso.

Essas vidas estão na conta dos anos de avanço neoliberal contra a classe trabalhadora, ao redor do mundo inteiro, que colocou a juventude, e em especial a juventude negra, em cima de motos e bicicletas, sem direitos trabalhistas, para garantir seu sustento.

Nós do Esquerda Diário deixamos nossa homenagem a todos os entregadores que perderam suas vidas, no Brasil e no mundo, e dizemos: Presentes! Nos colocamos com todas as nossas forças para apoiar o Breque Internacional dos Apps e fortalecer a luta pelas condições de vida da classe trabalhadora em meio a pandemia, que governos ao redor do globo fazem com que sejam os trabalhadores que paguem os custos dessa crise, tanto sanitária como econômica. Nossas vidas valem mais que o lucro deles!




Tópicos relacionados

Breque dos apps   /    Entregadores   /    Glovo   /    Rappi   /    Trabalho Precário   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar