ABUSO POLICIAL

URGENTE: Trabalhador negro e ativista do SINTUSP é preso dentro da USP

quarta-feira 14 de junho| Edição do dia

[ATUALIZADO ÀS 15:50]

Hoje, 14/06, por volta do meio-dia, o trabalhador e ativista do Sindicato dos trabalhadores da USP, Zelito, foi levado algemado no carro da Polícia Militar após voltar do seu almoço na Comunidade São Remo.

A força policial intitulada Koban (que, de acordo com a Reitoria da USP, seria uma polícia comunitária) tem atuado dentro da Universidade ameaçando e perseguindo ativistas estudantis e sindicais. No dia 07 de março, durante a repressão que ocorreu contra a manifestação pacífica de trabalhadores, estudantes e professores contra a aprovação da PEC do fim da USP (Parâmetros financeiros que preveem a demissão de 5 mil trabalhadores até 2022) essa força policial agrediu violentamente ao menos cinco manifestantes com alguns sendo socorridos às pressas para o Hospital Universitário.

Vários Diretores do Sindicato foram até a 93ª Delegacia de Policia onde a viatura acaba de chegar com Zelito.

Vários trabalhadores tem denunciado que a Policia Militar esta há algumas semanas atuando dentro nas entradas de acesso da São Remo para a USP enquadrando e revistando todas as pessoas negras. Mais uma vez se evidencia o caráter racista da Polícia Militar de São Paulo, da qual a Koban, suposta "polícia comunitária", é apenas um de seus braços dentro da Universidade de São Paulo focado em reprimir manifestações, perseguir estudantes e funcionários ativistas e humilhar, abordar e discriminar, pobres e negros.

Atualizaremos a notícia com maiores informações.




Tópicos relacionados

Secretaria de Negras e Negros e Combate ao Racismo do SINTUSP   /    SINTUSP   /    Racismo   /    Violência Policial   /    USP

Comentários

Comentar