REPRESSÃO AOS SERVIDORES

URGENTE: Polícia de Doria reprime servidores no ato em São Paulo

Professores realizam ato de milhares contra a reforma da previdência municipal de Doria e Covas, o SAMPAPREV, e são violentamente reprimidos pela policia militar.

quinta-feira 7 de fevereiro| Edição do dia

Em luta contra a reforma da previdência dos servidores municipais de São Paulo, o SAMPAPREV, professores realizam ato de milhares em frente a Câmara Municipal e são violentamente reprimidos pela polícia militar de Doria.

Segundo relatos de professores que estavam no local, uma juíza tentou atravessar o bloqueio com um carro, colocando em risco a vida dos professores. Alguns manifestantes tentaram impedir que o carro avançasse contra o ato e se colocaram à frente. O ato seguiu, porém o grupo que tentou impedir a juíza de avançar contra os professores foi violentamente reprimido pela polícia militar, deixando dois feridos.


Ato dos professores reúne milhares contra o SAMPAPREV

Um dos manifestantes feridos foi uma professora, que acabou tendo seu supercilho cortado pela violência de um policial. A professora foi encaminhada para um hospital municipal da região para atendimento médico. Segundo relatos, cerca de 20 policiais militares apareceram para "defender" o carro de luxo que tentava avançar contra os professores.

Repudiamos a violência policial à mando de Doria, que junto ao prefeito Bruno Covas, querem implementar uma série de ataques contra os trabalhadores, para descarregar a conta da crise capitalista em suas costas, garantindo os lucros bilionários dos patrões.

Veja o vídeo da repressão:




Tópicos relacionados

Greve Professores Municipais SP   /    Sampaprev   /    PM   /    PM São Paulo   /    João Doria   /    Repressão   /    Violência Policial

Comentários

Comentar