URGENTE

URGENTE: O reacionário projeto Escola Sem Partido pode ser votado nesta quarta em todo o país

Enquanto a atenção popular está voltada à Copa, Câmara dos Deputados se aproveita e quer, às escondidas, votar amanhã, quarta-feira (4), o reacionário projeto Escola Sem Partido em todo o país, tentando criminalizar professores e transformar a escola em espaço de censura e perseguição política.

terça-feira 3 de julho| Edição do dia

O projeto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) para “afastar a possibilidade de oferta de disciplinas com conteúdo de ‘gênero’ ou ‘orientação sexual’ em escolas de todo o país.

O texto é do relator/deputado Flavinho (PSC-SP), que quer impor a proibição de debates políticos e ideológicos nas salas de aula, incluindo nisso debates sobre teorias socioculturais e econômicas.

O que está por trás deste projeto, que tenta criminalizar professores e educadores é a censura e a perseguição política.

Esse programa é parte de um avanço ideológico à direita em todo o país, que tem como cara Bolsonaros e MBLs que se mobilizam para aprovar esse absurdo nas cidades país afora.

Em meio a Copa, enquanto os olhos da população estão voltados para o megaevento, querem passar este projeto em todo o país nesta quarta, às pressas.

Os trabalhadores, os estudantes e a população precisam lutar contra esse ataque. Todos os sindicatos precisam urgentemente mobilizar suas categorias, principalmente os dirigidos pela CUT e CTB e CNTE, que engloba todos os trabalhadores da educação do país, e convocar para quarta-feira uma ação que impeça a votação do projeto e impedir mais este avanço da direita.




Tópicos relacionados

Câmara dos Deputados   /    Escola sem partido   /    Educação   /    Militarização das escolas   /    Professores   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar