Política

Lula é solto! É preciso avançar contra todo autoritarismo e golpismo!

Depois de centenas de dias de prisão autoritária e arbitrária para facilitar o caminho do golpismo e todos seu aprofundamento de ataques e subordinação ao imperialismo, Lula foi solto pela justiça federal de Curitiba. Essa decisão atende ao julgamento do STF realizado ontem. As condenações seguem de pé, bem como todos efeitos políticos e econômicos do golpismo. A Lava Jato e boa parte do golpismo reclamam. Parte importante da imensa operação política-judicial-midiática do golpe está questionada.

sexta-feira 8 de novembro| Edição do dia

Desde o começo da operação Lava Jato o Esquerda Diário e o MRT se opuseram frontalmente a seu golpismo e subserviência a interesses capitalistas e imperialistas. Fizemos isso sem prestar nenhum apoio político a Lula e ao PT. As mensagens da Vaza Jato, que seguiu soltando denúncias somente a conta-gotas, confirmaram o que nós e muitos outros afirmávamos, se tratava de operação politicamente interessada e autoritária.

O autoritarismo da Lava Jato visava Lula, o PT, as estatais, e empreiteiras nacionais para abrir caminho a interesses imperialistas e a avançar contra direitos democráticos, sociais e trabalhistas elementares dos trabalhadores e do povo. Quiseram com as mãos da justiça e eleições manipuladas para colocar Bolsonaro no poder dar continuidade a um projeto golpista de aprofundar e muito os ataques que o PT já vinha fazendo, em especial no segundo mandato de Dilma.

A decisão do STF não tem como objetivo reverter nenhum desses passos para os quais suas decisões foram cruciais. Sem o STF, e muitos dos que votaram ontem pela inconstitucionalidade de prisão até transitado em julgado, não haveria ocorrido o impeachment, não haveria ocorrido essa prisão arbitrária, não teria sido roubado o direito da população votar em quem ela quisesse em 2018, não teria sido tão atacada a Petrobras para privatizá-la, não teria começado a implementação da reforma trabalhista antes mesmo da votação no Congresso. Não fossem mil e uma negociações de Toffoli e Gilmar o clã Bolsonaro não gozaria de tamanha impunidade. Sem o conluio do STF não teria havido “harmonia dos poderes” para executar a reforma da previdência e trucidar o direito dos trabalhadores se aposentarem.

O “Constitucionalismo” da Suprema Corte freia justamente no que for seu interesse político e econômico. E hoje em dia ao constituir uma maioria anti-Lava Jato buscam separar os efeitos políticos do golpe da continuidade e aumento de seu programa econômico.

O STF foi e é parte integral do avanço do golpismo e seu projeto de aumentar a exploração dos trabalhadores no país.

A libertação de Lula vivamente sentida por milhões de jovens e trabalhadores é um ponto de apoio para enfrentar todo o autoritarismo do judiciário,e precisa ser um ponto de apoio para enfrentar todo o legado econômico do golpismo.

A libertação de Lula coloca em jogo, aos olhos de todos, a possibilidade de avançar contra o golpismo, se aproveitando da debilidade da Lava Jato. Mas para isso é necessário ir além dos discursos e da estratégia meramente eleitoral e institucional.
Bolsonaro, Guedes, Toffoli, Maia, Alcolumbre seguirão planejando e impondo novos cortes na saúde, na educação, nos direitos do funcionalismo. Não há conciliação possível dos interesses dos trabalhadores e dos capitalistas, dos trabalhadores e dos golpistas, das mulheres e dos representantes do patriarcado, da defesa do meio-ambiente e do agronegócio. É preciso superar a estratégia conciliatória e exclusivamente institucional imposto pelo PT para reverter todos os ataques do golpismo.

Basta da paralisia imposta pelas direções do movimento de massas, em especial o PT e PCdoB, que estão deixando passar uma série de ataques históricos impunemente. Só podemos confiar no caminho da luta de classes para enfrentar os ataques e a extrema direita. Não será com acordos com partidos burgueses como o PDT, PSB e nem falar outros partidos do centrão, em uma suposta frente de esquerda ou frente democrática que enfrentaremos o golpismo. Esses partidos tiveram muitos parlamentares que votaram a favor da Reforma da Previdência e suas lideranças, como Ciro Gomes que passaram todo o dia de ontem e de hoje em silêncio sem sequer se pronunciar pela liberdade de Lula.

É preciso batalhar pela imediata ruptura da criminosa trégua que as centrais sindicais estão dando a Bolsonaro e todos seus ataques e exigir dos sindicatos, da UNE, das centrais sindicais como a CUT e CTB, que levantem um plano para reverter cada ataque que tem sido aprovado e garantir o fim de processos arbitrários como o de Lula, além da justiça por Marielle, uma ferida do golpe. É preciso construir em cada local de trabalho e estudo uma força militante que possa desafiar os freios que as direções dos sindicatos e do movimento estudantil colocam. É possível e necessário avançar para exigir anulação de todos processos da Lava Jato, impor que todos casos de corrupção sejam julgados por júri popular, que todos juízes sejam eleitos e ganhem como uma professora, e partir do questionamento ao racista e golpista judiciário possamos avançar contra cada medida contra a educação, a saúde, as aposentadorias e direitos trabalhistas já votadas ou em tramitação.




Tópicos relacionados

VazaJato   /    Julgamento de Lula   /    Operação Lava Jato   /    Lula   /    Política

Comentários

Comentar