Educação

OCUPATUDO UFMG

UFMG já conta com 18 ocupações de prédios

A semana passada na UFMG foi permeada pelo debate sobre o Enem e a manobra do governo Temer e seu ministro golpista da educação Mendonça Filho, que adiaram o exame para mais de 190 mil inscritos. Agora segue o debate sobre como avançar na luta contra os ataques do governo golpista.

quarta-feira 9 de novembro| Edição do dia

Mas a manobra, que além de servir para virar estudante contra estudante era também uma forma de desmobilizar e forçar desocupações, saiu pela culatra. Só na UFMG, na última semana, as ocupações passaram de 5 para 18 prédios. Além disso, diversas outras escolas secundaristas de toda região metropolitana de Belo Horizonte foram ocupadas, além da ocupação da PUC Coreu, primeira universidade privada do país a se somar na luta contra os ataques do governo golpista, e agora da PUC São Gabriel.

Na UFMG, além dos diversos prédios de faculdades ocupados tanto em Belo Horizonte como em Montes Claros, o movimento estende-se também para duas ocupações secundaristas, do COLTEC (Colégio Técnico) e do Centro Pedagógico, além da recém ocupada Rádio, que em acordo com os técnicos, será disponibilizado 4 horas da programação diária para a as ocupações.

Os secundaristas mineiros também decidiram fazer como no Paraná. Em toda região metropolitana, que se tem conhecimento, já são quase 40 escolas ocupadas, espalhadas por Belo Horizonte, Contagem, Betim, Sabará, Ribeirão das Neves, Santa Luzia, além do indicativo de ocupação na escola mais antiga de Ibirité.

As ocupações secundaristas, principalmente antes do ENEM, vinham sofrendo muito mais ameaças do que as universitárias. Para fortalecer todas as lutas e golpear esse governo com um só punho, é preciso mostrar que os estudantes das escolas ocupadas não estão sozinhos e cercá-los de apoio e solidariedade, unificando as lutas estudantis em curso.

O próximo dia 11 está sendo chamado pela CUT um dia de "paralisação nacional" e na UFMG os 3 setores – estudantes, professores e técnico-administrativos – já votaram que irão paralisar as atividades. A assembleia estudantil votou também a conformação de um forte bloco de estudantes que se unifique com os secundaristas, para mostrar que a juventude e o Movimento Estudantil estão organizados na luta para barrar a PEC 55, a MP 746 e todos os ataques do governo golpista de Temer.

É preciso que a CUT e CTB rompam a paralisia de convocar uma “paralisação nacional” através de eventos de facebook, sem construir essa paralisação na base das categorias e se negando a levantar um plano de luta contra os ataques e os golpistas. Essas centrais que falam da “inspiração dos jovens” mas não organizam uma jornada de luta em apoio aos estudantes precisam fazer como faz hoje o Movimento Estudantil, que buscam superar as burocracias estudantis e se organizar desde a base para fortalecer essa luta.

As ocupações só crescem, assim como a disposição dos estudantes de lutar. Sigamos fortalecendo essa luta, que pode ser a ponta de lança de um grande movimento nacional contra todos os ataques do governo golpista!

Para acompanhar as ocupações, confira abaixo as páginas da maior parte delas:

Ocupa Tudo - UFMG
Ocupa CAD 1
Ocupa FaE
Ocupa IGC
Ocupa Belas Artes
Ocupa EAD
Ocupa CAD 2
Ocupa Fafich e ECI
Ocupa Letras
Ocupa EFFTO
Ocupa Fafar
Ocupa Música
Mobiliza ICEx
Ocupa Coltec
Ocupa Teatro Universitário




Tópicos relacionados

UFMG   /    PEC 241/55   /    #OCUPATUDO   /    Educação   /    Belo Horizonte   /    Juventude

Comentários

Comentar