Internacional

IMIGRAÇÃO NA UNIÃO EUROPÉIA

UE contra os imigrantes: Holanda abriga refugiados sírios em prisões desativadas

Mais de 60 mil refugiados sírios chegaram a Holanda desde o ano passado. O país vem "abrigando" os imigrantes em antigas prisões.

quinta-feira 19 de maio de 2016| Edição do dia

Desde 2009 há uma discussão acerca da desativação de centros prisionais no país, um dos motivos são as baixas taxas de criminalidade, a ponto de oferecem a Bélgica e Noruega espaço para encarceramento dos condenados. Essa medida gerou muitas mobilizações pelo nível de desemprego gerado. Entretanto, os 12 presídios desativados são utilizados hoje para abrigar refugiados e imigrantes que buscam asilo contra os horrores da guerra.

Os refugiados e imigrantes que chegam hoje à Europa sofrem com a xenofobia nas cidades e a violência, uma vez que muitas vezes denúncias não faltam das “recepções” à bala pelos estados nas regiões fronteiriças, como aconteceu recentemente na Turquia, além dos milhares que morrem antes mesmo de conseguir chegar ao destino em navios que remontam os horrores das guerras da primeira metade do século passado.

Segundo o Human Rights Watch em nota sobre os refugiados que entraram pela Turquia, a União Europeia tem fechado as fronteiras, e reforçado o policiamento e as medidas de repressão contra os imigrantes que já tem sua vida totalmente destruída pela guerra e pela miséria capitalista. Não obstante também criticam fortemente esses abrigos prisionais provisórios.

Ora, trata-se de uma população dizimada e destruída, logo abrigá-las em presídios, os coloca em uma situação abjeta, que é parte da política européia de deixar claro o lugar onde essas pessoas devem ficar, ou seja, atrás das grades. Em reportagem da Folha de São Paulo são exaltados os êxitos dessa política nefasta, por terem feitos algumas adaptações e até mesmo por deixarem que as pessoas circulem livremente mesmo estando encarceradas.

Mostra o cinismo dos estados europeus a tentar passar como um elemento avançado o fato de “poderem” abrir os presídios para os imigrantes, o nível cultural e econômico de países como a Holanda é fruto direito da espoliação imperialista dos países da África e Oriente Médio, da onde provem a maioria dos imigrantes, recebidos atrás das grades. Esse é mais um exemplo do tratamento que a União Européia vem dando aos imigrantes, mas que já conta com resistência, como os estudantes alemães que fizeram recente marchar de milhares contra a imigração e a xenofobia, exemplo a se seguir.




Tópicos relacionados

Imigração   /    Internacional

Comentários

Comentar