Internacional

EUA

Trump promete deportar 3 milhões imediatamente e construir muro com México

segunda-feira 14 de novembro| Edição do dia

Em entrevista à rede de TV CBS, Trump disse que está disposto a deportar ou encarcerar de 2 milhões a 3 milhões imigrantes ilegais que supostamente teriam cometido crimes e teriam registro na polícia. Ele havia prometido deportar todas as 11 milhões de pessoas que estão de forma ilegal nos EUA, com exceções.

Tal promessa vai em direção oposta ao que disse o presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Paul Ryan. Ele afirmou à CNN que a deportação em massa não é um foco do Partido Republicano neste momento. "Acho que devemos tranquilizar as pessoas" em relação às deportações porque a prioridade máxima é a segurança nas fronteiras.

A nova discrepância entre Trump e Ryan mostram, mais uma vez como apesar de seu sucesso eleitoral Trump encontrará um Congresso que não necessariamente tomara seu mandato como um cheque em branco para aplicar seu programa. Essas discordâncias prometem que a crise política que atravessa os dois principais partidos possa crescentemente se tornar uma crise institucional entre os poderes do maior imperialismo do mundo.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, também afirmou neste domingo que poderia construir uma cerca em alguns lugares ao longo da fronteira sul do país, em outros lugares seria um muro propriamente dito. A mudança de muro para cerca não muda em nada sua proposta xenofóbica.

Se a deportação imediata de 3 milhões é algo menor que sua promessa eleitoral de deportar 11 milhões em nada diminui a agressividade de sua proposta que tem conseguido contaminar e dividir setores da classe trabalhadora contra outros. Obama, apesar das aparências abriu caminho a Trump, sendo o presidente que mais deportou estrangeiros na história dos EUA, tendo deportado segundo a rede ABC dois milhões e meio de pessoas em seus 8 anos no cargo.

No sábado e no domingo aconteceram novas manifestações contra Trump em diversas cidades dos EUA, algumas delas mobilizando dezenas de milhares ou até mesmo mais de 100mil em pessoas em Los Angeles segundo alguns meios de comunicação.




Tópicos relacionados

Internacional

Comentários

Comentar