Educação

UNICAMP

Trabalhadores fazem vigília em apoio à luta dos estudantes

Trabalhadores da UNICAMP acampam e fazem vigília em solidariedade aos estudantes e em resposta à ameaça da reitoria de por a polícia no campus contra a ocupação.

Cássia Silva

estudante de Ciências Sociais na Unicamp e militante da Faísca

domingo 26 de junho de 2016| Edição do dia

Na última semana a reitoria da UNICAMP mais uma vez encerrou intransigentemente as negociações com o movimento de ocupação e greve geral dos estudantes e reforçou sua ameaça de colocar a polícia dentro do campus.

Assim como as reitorias da USP e UNESP, a reitoria da UNICAMP quer criminalizar o movimento protagonizado por estudantes e trabalhadores que lutam por melhores condições de trabalho e estudo, por cotas étnico-raciais, moradia estudantil, contra os cortes e por permanência de qualidade. A entrada da polícia na universidade será uma enorme violência, um ataque à conquista dos estudantes que lutaram em 2013 e a afirmação de que a UNICAMP deve seguir como a universidade mais elitizada do país.

A defesa do movimento de ocupação da reitoria e maior greve estudantil do pós-ditadura militar, bem como das pautas unificadas e a exigência de nenhuma punição aos que lutam são fundamentais. A enorme preocupação e repúdio à ameaça de reintegração de posse do prédio da reitoria pela polícia, bem como todas as medidas de solidariedade de funcionários em greve na universidade, como o acampamento e todas as atividades de vigília, são mais uma mostra da nossa unidade contra a reitoria e suas chantagens e nós estudantes, além de agradecermos, nos emocionamos e nos sentimos ainda mais fortes! A luta dos estudantes e trabalhadores da universidade é a mesma, assim como também é uma luta em defesa dos direitos da população, pois defendemos a educação e saúde públicas e não aceitaremos o desmonte e a privatização da universidade pública, planejado pelo governador e aplicado pelos reitores.




Tópicos relacionados

Educação   /    Juventude

Comentários

Comentar