Mundo Operário

GREVE DOS CORREIOS

Trabalhadores dos Correios em greve fecham centro de distribuição estratégico no DF

Na manhã desta quarta-feira os trabalhadores dos Correios seguem sua forte greve paralisando um dos principais centros de distribuição no DF, local estratégico que recebe mais da metade das cargas vindas de SP, RJ, MG e PR, dando um exemplo de que apenas a luta dos trabalhadores pode barrar as privatizações e retiradas de direitos de Bolsonaro e Guedes.

quarta-feira 2 de setembro| Edição do dia

Os trabalhadores dos Correios são parte dos trabalhadores essenciais, seguiram trabalhando em meio à pandemia, garantindo o funcionamento de tudo. Obrigados a trabalharem sem os EPIs adequados, e perdendo colegas de trabalho para a COVID-19. Já foram 120 trabalhadores dos Correios mortos pela doença.

Bolsonaro e Guedes dizem que os trabalhadores são "privilegiados" para justificar a privatização e a retirada de direitos da categoria. Enquanto isso, o presidente dos Correios, o general Floriano Peixoto, ganha nada mais nada menos do que R$ 46.727,77 por mês, isso sem falar nos outros cargos executivos que são todos indicados pelo governo, quando a maioria da categoria não chega a receber mais que dois salários mínimos por mês e agora querem alterar 70 das 79 clausulas do acordo coletivo, como a redução do tempo de licença-maternidade de 180 dias para 120 dias, aumento no desconto do plano de saúde na folha de pagamento e redução salarial.

Como mostramos nesta matéria quem lucrará com essa privatização são os grandes magnatas e empresários do setor de comércio pela internet que encontrarão a sua disposição uma excelente rede de distribuição e logística, valorizada ainda mais no período da pandemia pelo grande esforço e suor dos trabalhadores que hoje tem seus direitos arrancados.

Veja também: A vida dura dos trabalhadores dos Correios, chamados de “privilegiados” por Guedes e pela mídia

Hoje os trabalhadores dos Correios estão dando mais um exemplo de luta nesta forte mobilização, o piquete está sendo feito em um dos principais centros de distribuição de Brasilia, um local estratégico que recebe mais da metade das cargas vindas de SP, RJ, MG, PR, mostrando como esse serviço essencial na pandemia está sendo garantido pelo grande esforço e suor dos trabalhadores.

Veja também: Trabalhadores dos Correios em greve param principal via da Ceilândia

A Juventude Faísca Anticapitalista e Revolucionária, impulsionado pelo Movimento Revolucionário dos Trabalhadores e que também impulsiona o Esquerda Diário, está presente em solidariedade à categoria.

É fundamental que as grandes centrais sindicais, como a CTB e a CUT que dirige o SINDECT/DF, unifiquem as lutas de outras categorias que também estão sendo atacadas, apenas a unidade das fileiras da classe trabalhadora pode barrar os ataques de Bolsonaro e Guedes e enfrentar o regime do golpe institucional de conjunto.

Estamos nos somando às ações da greve em várias cidades fazendo um chamado também aos partidos de esquerda como o PSOL, com seus parlamentares, e também o PSTU que dirige a CSP-Conlutas, assim como militantes de movimentos sociais e sobretudo o conjunto dos sindicatos a apoiar ativamente e fortalecer a greve dos trabalhadores dos Correios.

Para entrar em contato com o Comitê Esquerda Diário no Centro-Oeste, escreva para: [email protected]




Tópicos relacionados

Privatização   /    Greve dos correios   /    Correios   /    Brasília   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar