Gênero e sexualidade

Trabalhadores do metrô de Buenos Aires impulsionam jornada #NiUnaMenos

quarta-feira 19 de outubro| Edição do dia

Ao Secretariado Executivo:

Ante os brutais casos de feminicídios ocorridos nos últimos dias, e tendo em conta que a cada 28h matam uma mulher pelo exclusivo fato de ser mulher, o coletivo #NiUnaMenos convoca uma jornada de paralisação nacional com paralisações em todos os locais de trabalho das 13h as 14h e a mobilização, para a quarta-feira 19/10. Nesse marco acreditamos que as trabalhadoras e trabalhadores do metrô temos de ser parte desta jornada. Portanto, solicitamos ao Secretariado Executivo que convoque a realizar assembléias e consultas em todos os setores para votar a participação nesta jornada, e impulsione nas mesmas uma paralisação das 13h as 14h e a marcha as 17h, da avenida 9 de julho à Praça de Maio. Do mesmo modo solicitamos que se exija à empresa Metrovías que haja sanções para nenhuma das companheiras ou companheiros que se retirem do trabalho para poder participar da marcha.

Como dizemos, estas atividades surgiram do coletivo #NiUnaMenos, às quais aderem mulheres representantes de sindicatos como a CTA, ATE Nacional, Sipreba, Aeronavegantes, CICOP, agrupação Pão e Rosas junto a outras mulheres e organizações sociais e políticas.

Porque não queremos mais feminicídios! Queremos todas vivas! Nem uma a menos!

Natalia Lallana - Membro do Secretariado Executivo pela Minoria
Victoria Chaves - Delegada linha A
Agustina Chaves- Delegada linha D
Eugenia Sanchez - Delegada linha D
Rocío Córdoba - Delegada linha E

Primeiras assinaturas em apoio à proposta:

Claudio Dellecarbonara - Membro do Secretariado Executivo pela Minoria
Ariel Mastandrea - Membro do Secretariado Executivo pela Minoria
Facundo Ayala - Delegado linha B
Lucas Guerrini - Delegado linha B
Lucas Ortellado - Delegado linha B
Leonardo Saraceni - Delegado linha B
Nestor Piriz - Delegado linha C
Victor Rodriguez - Delegado linha C
Gustavo Sirolli - Delegado linha C
Julio Anahue - Delegado linha E
Hernán Carrizo - Delegado linha E / Revisor de contas pela Minoria
Carlos Moraca - Delegado linha E
José Luis Medina- Revisor de contas pela Minoria

Como é de público conhecimento depois de uma série de brutais feminicídios, neste 19º milhares de mulheres e homens se somarão à convocatória do coletivo #NiUnaMenos, que propõe uma paralisação das 13h as 14h para depois concentrar as 17h no Obelisco e marchar à Praça de Maio para gritar: #NIUNAMENOS #VIVASNOSQUEREMOS #SITOCANAAUNANOSORGANIZAMOSMILES.

Ainda que a convocatória oficial seja para levar adiante uma paralisação somente de mulheres, cremos que ela deve se estender a todos os companheiros homens, para que se somem a dar a batalha ombro a ombro com suas companheiras contra o patriarcado, a Igreja e o capitalismo, que reproduzem e são cúmplices da violência às mulheres.

O papel que devem desempenhar as organizações sindicais na luta por nossos direitos é fundamental. Nesse sentido, as ações que se levam adiante devem estar à altura da realidade, que neste caso nos mostra que centenas de milhares estão dispostas a lutar para terminar com a violência que se exerce sobre as mulheres. A proposta assinada por 18 delegados e delegadas, mais membros do Secretariado Executivo pela minoria, de garantir uma paralisação total do serviço durante essa hora, responde ao sentir de milhares de mulheres que começam a querer organizar-se para responder a violência, que ademais é legitimada pelo estado, pelos governos, pela igreja, e as forças repressivas.




Tópicos relacionados

Movimento Operário   /    Mulher   /    Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade   /    Internacional

Comentários

Comentar