Educação

GREVE NA SAÚDE

Trabalhadores do Hospital das Clínicas da UFMG entram em greve por tempo indeterminado

Servidores do Hospital das Clínicas da UFMG entraram em greve na manhã desta terça e denunciam que não há médicos e enfermeiros suficientes para atender a demanda do serviço de saúde pública.

terça-feira 19 de setembro| Edição do dia

Os trabalhadores são servidores da Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), um órgão ligado ao MEC que é responsável pela gestão dos hospitais universitários federais do país. A greve foi decidida em âmbito nacional em plenária dos servidores da Ebserh no último dia 4.

Além dos servidores da capital mineira, também devem aderir a greve em Minas Gerais a partir de amanhã os trabalhadores do Hospital Universitário da UFJF, em Juiz de Fora, e do Hospital Mário Palmério, em Uberaba.

O Sindicato dos Trabalhadores Ativos, Aposentados e Pensionistas do Serviço Público Federal no Estado de Minas Gerais (Sindsep-MG) declarou que os serviços de emergência e urgência do Hospital das Clínicas continuarão funcionando.

Os trabalhadores dizem que estão trabalhando no limite e faltam médicos e enfermeiros para atender a população. Também questionam a falta de negociação, que vem sendo protelada desde dezembro, e que não nenhuma previsão nem de aumento salarial e nem novas contratações.

A desvinculação dos hospitais das universidades para passarem a ser administrados por uma empresa, como é o caso da Ebserh, sempre foi denunciada pelos setores que defendem uma saúde pública e de qualidade para todos, pois significava uma desvalorização e privatização da saúde pública. Agora, o que se vê na prática com a adesão ao Ebserh e privatização da gestão, é que o enorme caos na saúde pública atingiu os hospitais públicos tidos como referência, como são os hospitais universitários.




Tópicos relacionados

Juiz de Fora   /    Greve   /    Universidades Federais   /    Educação   /    Saúde   /    Belo Horizonte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar