Mundo Operário

GREVE DE JORNALISTAS

Trabalhadores do Correio Popular seguem em greve com salários atrasados

Hoje (16) é o terceiro dia de greve dos jornalistas da Rede Anhanguera de Comunicação (RAC) de Campinas.

sexta-feira 16 de fevereiro| Edição do dia

A RAC responsável pelo jornal Correio Popular, pelas revistas Metrópole e VCP News e pelo site do Correio, deve salários desde novembro passado,o 13º referente ao ano de 2017 e adicional de 1/3 aos que saíram de férias.

Os jornalistas, administrativos e fotógrafos da RAC que deliberaram greve em assembleia nessa quarta-feira (14), após inúmeras promessas de pagamento descompridas, seguem parados tentando pressionar a rede.

Os atrasos, segundo os trabalhadores, foram constantes nesses últimos dois anos, no entanto a empresa passou nos últimos meses a descumprir acordo judicial, conquistado após uma greve em junho de 2017.

Após sentença do 15° Tribunal Regional do trabalho, a RAC se comprometera a pagar semanalmente um quarto de salário mensal devido até quitar os valores em atraso, mas os pagamentos efetuados até o momento não somam um oitavo de salário.

A direção da RAC mesmo frente a situação ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto.

Em meio a crise financeira no país e sem receber salários, os trabalhadores tem um fundo organizado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) para cobrir despesas emergenciais em meio a greve. Nele é possivel o deposito de qualquer quantia.

O Esquerda Diário envia toda solidariedade à greve desses jornalistas, que hoje se enfrentam com a mesma empresa acusada, junto com o prefeito de Campinas, Jonas Donizetti (PSB), de participar de esquemas de corrupção que devastam o Hospital Ouro Verde.

Para depositos:

Caixa Econômica Federal
Agência 4070
Conta corrente 1143-3
(caso o depósito ou transferência seja entre contas da Caixa, o código da operação é 003)
Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
CNPJ 62.584.230.0001-00

Há a possibilidade de colaborar com o fundo de greve por meio de doação de cesta básica na sede da Regional Campinas do SJSP, que fica na Rua Dr. Quirino nº 1319, 9° andar, no centro campineiro.




Tópicos relacionados

Greve   /    Campinas   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar