Mundo Operário

CEDAE

Trabalhadores da CEDAE fazem ato contra a privatização na sede da empresa no RJ

quarta-feira 24 de junho| Edição do dia

Trabalhadores efetivos e terceirizados compareceram hoje pela manhã na sede da CEDAE na região central do município do Rio de Janeiro, para protestar contra o edital apresentado pelo governador Wilson Witzel que quer privatizar a partir de concessão no qual empresas arrematarão o direito de explorar a água do Estado do Rio de Janeiro, pagando R$ 33,5 bilhões para usufruir por 35 anos este direito.

Como já foi dito aqui, o Estado do Rio de Janeiro, apesar da concessão, terá que seguir arcando com a manutenção do principal ativo da empresa, a Estação de Tratamento do Guandu. Se a Cedae, em 2018, conseguiu lucrar R$ 832 milhões praticando preços de empresa pública e investindo nas suas estações de tratamento, imagina o que não lucrarão estas empresas que, segundo a concessão, terão que investir meros R$ 4,6 bilhões em tratamento de esgoto como termo da concessão.

Sabemos que em meio a pandemia quem mais sofre é o povo trabalhador, que no início do ano estava tomando água completamente suja e em muitos locais da cidade ainda nem chega o serviço de abastecimento e saneamento básico, principalmente nas favelas, sendo o povo negro a grande maioria dos que vivem nessas condições e ao mesmo tempo são a maioria dos contaminados pelo covid-19.

Nas mãos dos capitalistas está claro que as empresas que prestam os serviços públicos só tendem a piorar, precarizar cada vez mais o trabalho. Por isso a luta contra a privatização da CEDAE é uma luta de toda a classe trabalhadora e deve ser tomada por todos os sindicatos do estado do RJ e uma luta em aliança com a população pobre, negra que vive nas favelas e subúrbio pois será a que mais sofrerá com a privatização. E só mesmo com o controle da empresa nas mãos dos trabalhadores em aliança com o povo é possível ter uma Cedae que sirva aos interesses da maioria da população, com água limpa e esgoto para 100% das moradias.

Vejam o vídeo do cedaeano Heraldino Júnior que fala diretamente do ato:




Tópicos relacionados

Wilson Witzel   /    Privatização da Água   /    CEDAE   /    Privatização   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar