Mundo Operário

FUTEBOL

Trabalhadores Atleticanos denunciam preço abusivo de ingresso

Para lógica mercadológica do futebol atual, torcedores e trabalhadores de baixa renda só podem usufruir de sua paixão em torneios Estaduais ou jogos sem expressão, já que os jogos internacionais esta direcionado para o publico elitizado.

quarta-feira 12 de abril de 2017| Edição do dia

Atlético Mineiro sobe ingressos de valor mínimo de R$ 20,00 (vinte reais) para mínimo de R$ 120,00 (cento e vinte reais), que variam até o valor de R$350,00 (trezentos e cinquenta reais).

Isso acontece porque o time que vinha atuando somente pelo campeonato mineiro e na primeira liga em jogos em casa, agora passa a receber times internacionais pela copa libertadores. No extinto setor denominado “Geral” os ingressos eram acessíveis, o fim dos setores populares favoreceu diretamente a elitização nos estádios. Quem perde com isso? Quem perde é o verdadeiro torcedor.

As arquibancadas estavam sempre cheias e a torcida cantava o jogo todo. Hoje por falta de condições e ingressos a preços abusivos, o trabalhador fica de fora, só nos resta reparar o quanto as coisas mudaram. Falando pela torcida do Atlético, as coisas mudaram drasticamente com os anos. Sentimos falta da classe operária, dos negros, e dos verdadeiros protagonistas dessa cultura popular.

Até quando o verdadeiro torcedor ficará incapacitado de frequentar os estádios? Hoje o futebol é só mais uma opção para classe dominante, já que o pobre proletariado, não tem direito ao lazer e cultura. O preço abusivo restringe a classe pobre de ir aos jogos para apoiar o time do coração. É mais do que notável que a elitização dos estádios, tem como objetivo, o lazer para e somente aqueles que já têm diversas outras opções e estão lá apenas para passar o tempo. Devolva o futebol para o povo!




Tópicos relacionados

Futebol   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar