Política

MANIFESTAÇÃO NA PAULISTA

Torcidas de times rivais se unificaram na Paulista em ato contra Bolsonaro

domingo 31 de maio| Edição do dia

As manifestações de hoje (31) na Avenida Paulista, em São Paulo, expressaram a revolta de muitos contra as ameaças autoritárias de Jair Bolsonaro, e também dos absurdos casos de violência policial racista no Brasil.

Mas uma marca importante dessa manifestação é que estiveram lado a lado torcidas organizadas de clubes rivais. Torcedores de Corinthians, Santos, Palmeiras e São Paulo fizeram parte da organização da manifestação que atropelou os atos bolsonaristas já costumeiros nos domingos, como mostra um vídeo de uma madame bolsonarista aterrorizada com a chegada dos manifestantes contra Bolsonaro.

Em tempos de avanços do autoritarismo, e de uma crescente crise política que envolve o fortalecimento de instituições sem voto - como são os militares e o STF - a unidade destas torcidas, que para muitos, graças a uma grande parte da imprensa, são vistos como inimigos, deram uma importante demonstração voltando seus canhões contra Bolsonaro de forma unitária.

Este ato em São Paulo é uma das diversas manifestações que tivemos hoje ao redor do Brasil, como foi o caso de Rio de Janeiro e Minas Gerais, sendo parte também da revolta que se expressa ao redor do mundo após o assassinato de George Floyd nos EUA, que desencadeou manifestações em todos os cantos dos Estados Unidos.

A grande imprensa no entanto, mostra sua visão do senso comum conservador quanto às torcidas de futebol. A CNN em sua cobertura fez de tudo para criminalizar os manifestantes que estavam sendo brutalmente reprimidos pela polícia. E na Globo News, o deputado do MBL, Kim Kataguiri, declarou que para ele a palavra “democracia” na boca de torcidas organizadas vale a mesma coisa do que na boca de Bolsonaro, uma demonstração de uma visão conservadora, e também anti trabalhadores, já que estas torcidas são compostas majoritariamente por trabalhadores e trabalhadoras, e em sua maioria negros.

A repressão da PM de Dória foi muito brutal, e seguiu por mais de hora, após um inicio de confronto entre bolsonaristas e manifestantes anti-bolsonaro, dando uma demonstração de que papel a PM racista e assassina segue cumprindo no Brasil.




Tópicos relacionados

Fora Bolsonaro, Mourão e os militares   /    Governo Bolsonaro   /    PM   /    PM São Paulo   /    João Doria   /    Política

Comentários

Comentar