Política

PORTO ALEGRE

Tomar as ruas de Porto Alegre contra Bolsonaro, o golpismo e as reformas nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira (18) ocorrerá novo ato no centro de Porto Alegre às 17h, na Esquina Democrática, contra o fortalecimento de Bolsonaro. Somente através da luta e das mobilizações derrotaremos o avanço da extrema direita, o golpismo e suas reformas.

terça-feira 16 de outubro| Edição do dia

Foto: Diego Quadros

Em todo o Brasil, a juventude vem se mobilizando e se organizando desde a semana passada para derrotar o fortalecimento de Bolsonaro e da extrema direita, como na USP que decidiram em Assembleia Geral a paralisação das aulas. Na UFRGS os estudantes do curso de Teatro já vem dando esse exemplo de luta onde boa parte dos alunos estão com as aulas paralisadas desde o ínicio da semana passada. Os estudantes da Psicologia, da Fonologia e do Serviço Social também aprovaram ontem à noite em Assembleia do prédio da Psico paralisação das aulas. É necessário que seguimos lutando e se mobilizando nas ruas de Porto Alegre, e compor o ato que ocorrerá nesta quinta feira (18) às 17h na Esquina Democrática no centro da cidade, para enfrentar Bolsonaro, o golpismo e suas reformas.

Diante destas eleições manipuladas pela Lava Jato e o judiciário, sob a tutela das Forças Armadas, vemos um avanço da extrema direita e do autoritarismo encabeçada pelo candidato à presidência Jair Bolsonaro, que quer um futuro que não exista nenhum direito aos trabalhadores, onde já afirmou que os trabalhadores vão ter que decidir entre mais empregos sem direitos, ou todos os direitos e desemprego, e seu vice, o general ultra-reacionário Mourão, disse que vai acabar com o 13° salário. Bolsonaro deseja garantir uma enorme repressão aos movimentos sociais ao dizer que irá acabar com todo ativismo do país. Quer um país onde cada vez mais seja normal a violência machista, racista, LGBTfóbica que ele prega e seu apoiadores executam, como foi com o mestre Moa do Katendê que foi assassinado com 12 facadas por um bolsonarista por ser eleitor do PT. Fora tantos outros ataques que ocorreram após o 1° turno por apoiadores de Bolsonaro.

Não será através das eleições que iremos derrotar Bolsonaro, pois mesmo que Haddad vença no 2° turno, o que é improvável tendo em vista os números das pesquisas e todo o apoio da classe dominante a Bolsonaro, temos que deixar claro que essa base bolsonarista continuará nas ruas, na Câmara, no Senado, nos governos dos estados. Será também um governo subordinado ao autoritarismo do judiciário, à tutela das Forças Armadas e à crise econômica e por isso é preciso se preparar desde já para derrotar essa extrema direita na luta de classes. É necessário tomar as ruas de Porto Alegre como foi no grande ato que ocorreu na última quinta-feira (11) onde a juventude protagonizou, mostrando disposição para enfrentar Bolsonaro e a extrema direita.

Chamamos toda a juventude e os trabalhadores para comporem nesse novo ato que ocorrerá na próxima quinta-feira (18), somente através da luta e da mobilização iremos derrotar a extrema direita e o golpismo, e derrubar todas as reformas que querem aplicar contra a classe trabalhadora. Com toda essa força e disposição de luta que foi demonstrado no último ato, que devemos seguir nas ruas e nos organizar em milhares de comitês de base em cada local de trabalho e estudo para derrotar a extrema direita, uma tarefa que não será resolvida nas eleições.




Tópicos relacionados

Mulheres Contra Bolsonaro   /    Juventude    /    Extrema-direita   /    Bolsonaro   /    UFRGS   /    Porto Alegre   /    Política

Comentários

Comentar