Política

POLÊMICA

"Todo poder ao Judiciário" ? Transição socialista... ou burguesa? A sua incansável vontade de passar vergonha

Virgínia Guitzel

ABC Paulista | @virginiaguitzel

quarta-feira 31 de janeiro| Edição do dia

Após 3 desembargadores eleitos por ninguém abrirem um novo capítulo do golpe institucional com a condenação arbitrária do Lula com aumento de pena de 9 a 12 anos, seguida pela cassação de seu passaporte e agora a negação do STF do harbeas corpus, o judiciário sequestrou o direito das massas decidirem em que votar nas eleições de 2018, desta vez, de forma preventiva. Mas no mundo da Transição Socialista, o que está em jogo, é a liberdade de Lula que significaria um "governo mais autoritário" e portanto saem em campanha: "Prender Lula o quanto antes!".

Nesse universo paralelo, abandonado pela razão e portanto pelo marxismo, a classe trabalhadora foi substituída nada mais e nada menos pelo principal poder bonapartista - ensinado no imperialismo norte-americano - do judiciário. O mesmo judiciário racista e transfóbico que condena negros como Rafael Braga todos os dias e mantém presos mais de 300 mil pessoas sem julgamento naquela que é a 4ª maior população carcerária do mundo, se tornou o sujeito revolucionário desse grupelho infantil.

É díficil levar a sério uma posição tão golpista e tão desesperada. Parece uma tentativa de chamar atenção, com aquela ideia de que "não existe má fama" ou talvez uma busca para entrar na história, mesmo que seja pela vergonha. Ainda querem arrastar a esquerda ao seu pantano com o chamado freak "A esquerda não deve vacilar: deve agir pela condenação de Lula!" Lamentável.

Enquanto as massas tem o direito político mais elementar de uma democracia formal, o sufrágio universal, sequestrado preventivamente por este judiciário e a urgência necessidade dos revolucionários esclarecem a classe trabalhadora o significado deste ataque bonapartista para avançar em maior degradação dessa democracia dos ricos, a postura da Transição Socialista - que já não surpreende - é de apoiar esse grande ataque democrático acreditando que este atalho pode fortalecer a classe trabalhadora? O que grupos lunáticos como este não entendem é que a tarefa da esquerda é superar o PT pela esquerda e não bater palma para o avanço autoritário do Estado contra os direitos democráticos elementares da população, que hoje se expressam na condenação arbitrária de Lula: métodos estes que se voltarão contra a classe trabalhadora. Ou a Transição socialista acredita que após a prisão de Lula e a desconfiguração do regime de 88, onde o PT foi um pilar fundamental da conciliação de classes para a Nova República, a esquerda terá mais condições de disputar um lugar a esquerda?

Enquanto para se diferenciar do PT decidem subir no barco do judiciário, deixam justamente as bandeiras democráticas nas mãos de partidos como o próprio PT e sua burocracia sindical, que sempre estiveram a serviço da manutenção da ordem burguesa. Fazem assim justamente o oposto de superar o petismo, deixar todo um caminho aberto para o cinismo deste partido reformista, que tem qualquer intenção de impedir o avanço da direita e dos ataques contra os direitos mais elementares da classe trabalhadora.

Terminam assim: "Que Lula seja preso o quanto antes, e que leve consigo Temer, Aécio e todo o bando podre de Brasília, que organiza a dominação da classe burguesa no Brasil. Às ruas pela prisão de Lula!" Alguém se lembra daquela grande ideia de "primeiro derrubamos a Dilma e depois os outros"? O famoso "Fora Todos" dos seus amigos golpistas PSTU? Um ano após o golpe institucional e estes grupelhos insistem no seu erro, que por sorte da classe trabalhadora, seguirão a margem e sem qualquer influência concreta. É então tempo de rir de tais simplificações antimarxistas.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar