Mundo Operário

RODOVIÁRIOS NATAL

Todo apoio à greve de rodoviários de Natal!

Na manhã dessa segunda-feira, 22, Natal foi afetada por uma forte paralisação dos rodoviários e cobradores, que estão sofrendo ameaça de corte no plano de saúde, no vale alimentação, em meio a uma série de demissões de cobradores e motoristas, que estão sendo vítimas de suspensões e cortes de salário da MP da Morte de Bolsonaro. Chamamos todos a se solidarizar com essa greve!

terça-feira 23 de junho| Edição do dia

A greve é por tempo indeterminado e reivindica a manutenção dos cobradores nos veículos e o pagamento do plano de saúde e do vale alimentação, que foram suspensos arbitrariamente por parte das empresas.

A justificativa desses ataques não poderia ser mais absurda. A Seturn alega que as empresas de ônibus perderam 70% do seu faturamento durante a pandemia, e exige da prefeitura maiores isenções no INSS! Querem arcar ainda menos com a aposentadoria do conjunto dos trabalhadores, joga com suas vidas com cortes que afetam diretamente a sua saúde em meio a uma pandemia global e com o SUS de Natal colapsando.

Joga as contas na crise dos trabalhadores, mas não apresenta nenhum número oficial de demitidos, nem mesmo se está de fato perdendo faturamento, pois sabemos que recursos da prefeitura nunca faltaram para encher os bolsos dos mafiosos da Seturn.

Segundo o Sintro/RN, sindicato de rodoviários de Natal, apenas 12 ônibus circularam na cidade ao longo do dia. Uma grande demonstração da força da categoria, que se prova essencial para garantir que toda a população possa chegar aos seus locais de trabalho, comércio e outras atividades. Apesar dos decretos de distanciamento social, uma série de trabalhadores, inclusive não essenciais, tem que tomar ônibus por que são obrigados a trabalhar para garantir o lucro dos empresários.

E apesar disso, sofrem com todo o tipo de ataques por parte da Seturn, uma verdadeira máfia dos empresários de transporte da região, com apoio do prefeito Álvaro Dias, que junto à mídia, tentam culpar os rodoviários pelas aglomerações nos pontos. Nada disso, culpados são Álvaro Dias, e também a governadora Fátima Bezerra, que fazem o jogo dos patrões do estado. Não proíbem as demissões, suspensões e cortes de salário, aceitando a MP da Morte do Bolsonaro, e que a população tenha que se sustentar com o auxílio de R$600 do governo, que não garante condições mínimas para as pessoas sobreviverem e ficarem em casa.

Essa greve ocorre no mesmo momento em que está sendo convocada, para o dia 1 de julho, uma paralisação internacional dos entregadores de aplicativo, que denunciam as baixas tarifas que recebem, a completa falta de EPIs e os bloqueios arbitrários por parte das empresas. A unificação dessas lutas é decisiva para colocar a força dos trabalhadores, para avançar contra os ataques do governo Bolsonaro e das patronais das empresas de aplicativo, de transporte de Natal e de todas as categorias vítimas da guerra dos governos para salvar seus lucros, à custa de suas vidas na pandemia, empregos e salários.

Os rodoviários e cobradores são vítimas da MP da Morte, com suspensões, corte de salário, férias não remuneradas, e ainda sofrem as chantagens da Seturn para cortar seus planos de saúde, dando a “opção” de terem o valor do plano descontado dos seus salários. São expostos ao COVID-19, na medida que a empresa não garante EPIs e álcool gel necessário para atenderem a população.

Por tudo isso, é fundamental apoiar a luta dos rodoviários, chamando a mais ampla campanha de solidariedade. O papel estratégico dos rodoviários de parar a cidade, mostra o potencial dos trabalhadores, mesmo em meio a pandemia, se organizar para defender os seus direitos, barrar as demissões dos cobradores, mas também se enfrentar contra os ataques que afetam outras categorias e setores da população. Por exemplo, pode avançar para lutar contra a MP da Morte do Bolsonaro e exigir a proibição das demissões no estado.

Contudo, essa não parece ser a vontade do próprio Sintro/RN, controlado por Júnior Rodoviário da CUT e do PT, que tenta colocar à disposição de luta a serviço de conciliar com a prefeitura e a Seturn. A CUT dirige dezenas de sindicatos na cidade e deixa os rodoviários sozinhos nessa luta, e até agora ignora o chamado internacional dos entregadores.

Para barrar as demissões da Seturn, é necessário toda a população de Natal, que depende dos ônibus, exija a imediata abertura do livro de contas das empresas, para que a população e os trabalhadores dos transportes vejam onde é que está o lucro e o prejuízo da empresa e impeça toda demissão e corte de direitos, e um transporte público que atenda as demandas da população. A auto-organização dos rodoviários é fundamental para garantir seus empregos e direitos, superando os limites da política conciliadora de Júnior Rodoviário, lutando contra a MP da Morte de Bolsonaro e exigindo da CUT que convoque as suas categorias para lutarem ao lado dos rodoviários.

O caminho dessa auto-organização é para mostrar que se os rodoviários e cobradores são essenciais, são os únicos que podem atender de fato os interesses da população e devem controlar democraticamente os transportes junto aos usuários, expulsando do comando os mafiosos da prefeitura e da Seturn.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Natal   /    rodoviários   /    Rio Grande do Norte   /    Greve   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar